Importar um carro de Espanha - perguntas e respostas

Nesta página: faço uma pequena introdução à compra de um carro usado em Espanha para legalizar em Portugal.

Espanha, por ser o nosso único país vizinho, pode ser uma alternativa a quem procura comprar um carro no estrangeiro, evitando o mercado mais utilizado mas, mais longínquo, da Alemanha.

Porque recebo algumas perguntas e dúvidas nesse sentido, neste artigo quero ajudar e fazer uma pequena introdução ao mercado espanhol e responder às questões mais comuns.

Leia também: testemunho - importar um carro de Espanha.

Compensa importar de Espanha?
Na minha opinião, nem por isso mas, depende muito do que procura. Se procura carros ditos "premium", não me parece uma boa opção. Se procura carros mais acessíveis, talvez, depende muito das marcas, dos modelos e das motorizações.

Na maioria dos negócios, os ganhos face à Alemanha são residuais, se existirem sequer, sendo que em muitos casos, são os próprios espanhóis que vão buscar carros à Alemanha. Por aqui se vê que não é um mercado como o alemão, dinâmico, com muita oferta e bons preços, não tendo tantas oportunidades para poupar algum dinheiro na compra de um carro.
No entanto, é um dos principais países fabricantes de automóveis da UE e isso tem alguma influência no mercado.
Além deste facto, é também um dos principais destinos turísticos do mundo, o que leva a que o negócio do aluguer de carros de cariz turístico seja grande, com muitos automóveis ex-rent-a-car a serem introduzidos no mercado de usados a preços mais baixos.

Compensa mais pela proximidade - que elimina muitos custos na importação com a questão da viagem - mas não quer dizer que não existam bons negócios, tem é que se procurar mais e melhor.

Dito isto, as marcas a procurar, porque são as mais vendidas e as com melhores preços, são a SEAT (a mais vendida), a Renault, a Peugeot, a Citröen e talvez a Volkswagen.

Nas marcas francesas é capaz de encontrar melhores negócios em França.

Onde posso procurar carros usados?
Há quatro grandes plataformas:

A que é que devo estar atento quando procuro carros?
Em Espanha, os vendedores profissionais têm o hábito de anunciar os carros com um preço que só é possível obter se contratar um crédito automóvel para a compra do carro.
Normalmente, o preço "al contado", isto é, a pronto, aumenta o preço de venda "financiado" entre 500€ a 2.500€.
Ou seja, se vir um carro à venda por 15.000€, é muito provável que para si, português que não irá recorrer ao crédito em Espanha, o carro custe efectivamente uns 17.000€, tornando o negócio muito pouco atractivo. Alguns comerciantes nem sequer anunciam o preço "al contado" e só mais tarde no contacto é que o informam que o preço só é válido com financiamento - tenha muito cuidado com isto, não crie expectativas ao ver preços bastante atractivos.
Isto acontece porque os bancos e as financeiras pagam comissões aos comerciantes por cada crédito angariado, que estes por sua vez reflectem no preço de venda para "adoçar" o negócio.

Deve também prestar muita atenção ao local onde está o carro. Os carros mais interessantes costumam estar nas ilhas espanholas (Baleares e Canárias), que por serem destinos turísticos de grande volume, têm uma grande frota de rent-a-car.
No entanto, nestes casos há duas questões importantes: o custo de trazer o automóvel para o continente, de barco, é significativo - por exemplo, trazer das Canárias para Cádiz um carro pequeno + 2 pessoas custa 400€~500€.
Além do transporte, as Canárias não têm IVA. Quando importar o carro para Portugal terá que o pagar aqui a 23%, seja o carro novo ou usado, é indiferente. Não acontece isto com as Ilhas Baleares, o IVA é pago na origem e está normalmente incluído no preço de venda.

As emissões de CO2 em Espanha são, quando se vende um carro, pouco relevantes. Pode ter alguma dificuldade em perceber quais as emissões de CO2 de determinado veículo, podendo ter algumas surpresas quando fizer a simulação do ISV a pagar, especialmente em modelos que não existam noutros países. Pode sempre fazer uma extrapolação, vá a mobile.de, pesquise pelo mesmo carro, do mesmo ano, e veja quais as emissões do modelo em questão - as da versão espanhola não hão-de ser muito diferentes, se forem.

Como é que se pode trazer um carro de Espanha para Portugal?
Pode fazer a coisa de três formas:

O mais importante nisto tudo é perceber que Espanha não é um país exportador de automóveis usados pelo que não há tanto conhecimento destes processos por parte dos particulares ou profissionais como há na Alemanha.
Irão olhar para si com alguma desconfiança, alguns porque não querem ter o trabalho, outros porque não sabem e não querem cometer ilegalidades ou asneiras, havendo até quem se recuse a fazer a venda.

Quanto custam as burocracias em Espanha?
Pouco - as placas verdes custam 20,20€ + o custo das chapas em si, dar baixa do carro custa 8,5€, o seguro por 3 semanas custa +/-100€.
Existem autocarros ou comboios com grande frequência que o podem colocar em pouco tempo a partir de Lisboa ou Porto em qualquer local de Espanha, cujo preço não é significativo. Pesquise os preços numa das muitas plataformas mas espere algo entre os 15€ e os 30€ por pessoa.

O que preciso saber mais?
O processo em si, fora estas particularidades, é muito parecido com o de uma compra na Alemanha.
Assim, sugiro que leia o guia para comprar um carro na Alemanha que escrevi e que o adapte à situação espanhola.
Leia também o guia para legalizar carros importados em Portugal, para saber como proceder para ter a matrícula portuguesa.

Se tiver problemas ou dificuldades, pode descreve-los usando a caixa de comentários mais abaixo, tentarei ajudar dentro do que puder e souber.

Agradeço qualquer participação sua, especialmente se for para corrigir ou melhor esta página. :)

11.12.2019. 15:11

António Vasconcelos em 09.01.2020. 12:17

Obrigado eu por toda a informação disponibilizada aqui no portal.
No entanto, penso que por uma questão de logística irei pedir ao meu pai para tratar da baixa lá e já seguir com as matrículas verdes para cá.

FD em 09.01.2020. 11:46

@António Vasconcelos em 09.01.2020. 11:37

Muito obrigado pela sua contribuição - será com certeza útil para outras pessoas. :)

António Vasconcelos em 09.01.2020. 11:37

Obrigado mais uma vez pela resposta.
Já entrei em contacto com o IMT e informaram-me que depois do processo de legalização estar concluído cá em portugal.
Deve-se pedir uma certidão de atribuição de matrícula portuguesa e uma cópia do autenticada dos documentos portugueses para serem entregues em espanha e a baixa ser dada lá.

Espero que possa ajudar mais alguém que possa ter essa dúvida.

FD em 09.01.2020. 10:09

@António Vasconcelos em 09.01.2020. 09:10

Exacto. Mas não se esqueça de confirmar que o IMT comunica com o "IMT espanhol" - há países em que tal não acontece (duvido que Espanha seja um desses mas não perde nada em confirmar).

António Vasconcelos em 09.01.2020. 09:10

Obrigado pela resposta.
Então nem sequer é preciso dar baixa em Espanha?
Simplesmente trago o carro em circulação de Espanha para cá com os documentos do meu pai e faço a legalização?

FD em 08.01.2020. 21:06

@António Vasconcelos em 08.01.2020. 20:13

Não precisa de fazer isso - o seu pai confia em si, certo?
Logo, pode trazer o carro ainda em nome dele e legaliza-lo assim.

Quando entregar os documentos espanhóis no IMT, em princípio, o IMT irá comunicar com o "IMT espanhol" de forma a cancelar a matrícula e o registo em Espanha - confirme quando o fizer mas normalmente é assim que acontece.

António Vasconcelos em 08.01.2020. 20:13

No meu caso vai ter mais de 6 meses e 6 mil quilómetros.

Mas então se o meu pai me passa declaração de venda, terei, mesmo assim que pedir o NIE cá no consulado para efetuar depois o pedido de baixa para exportação e matrículas verdes, certo?

FD em 08.01.2020. 18:42

@António Vasconcelos em 08.01.2020. 16:42

Atenção ao IVA, se trouxer o carro para Portugal com menos de 6 meses ou 6.000km terá que pagar aqui o IVA, além de o ter pago em Espanha.
Mais sobre isto: IVA na importação de carros.

O seu pai compra o carro, faz os 6 meses e 6.000km, passa-lhe uma declaração de venda e os documentos espanhóis, com o seguro ainda em nome dele chega a Portugal, apresenta a documentação e faz a legalização em nome do António Vasconcelos.
Esta é a forma mais fácil de fazer as coisas.

António Vasconcelos em 08.01.2020. 16:42

Obrigado pela resposta.
Mas o meu pai pode comprar e dar imediatamente a baixa para exportação e eu legalizar em meu nome cá ou já tem que ser comprado por mim ao meu pai?

FD em 08.01.2020. 16:28

@Isabel A em 08.01.2020. 15:54

Sim, a única vantagem será mesmo essa: compra em nome do seu pai e depois legaliza em Portugal em seu nome.
De resto, não há mais vantagens, o processo e os impostos a pagar são iguais.

António Vasconcelos em 08.01.2020. 16:15

Boa tarde,

pretendo importar um carro de espanha.
A minha dúvida prende-se com o facto de que os meus pais trbalharam e são residentes em território espanhol.
Dessa forma gostava de saber se há alguma vantagem nisso para o processo de compra e importação / legalização para portugal.

Será mais fácil o meu pai comprar o carro em espanha como cidadão espanhol e eu comprar a ele como particular e depois tratar de todo o processo de legalização? (pergunto isto, pois li no artigo relativamente à importação de carros em espanha que por vezes eles são menos recetivos e conhecedores do processo.)

Ou há alguma outra dica que neste caso poderá agilizar o processo?

Cumprimento e parabéns por este repositório de informação tão útil.

Escrever um comentário ou colocar uma dúvida

POR FAVOR leia a página toda antes de fazer perguntas que já estão respondidas no texto principal! Obrigado.

:

:

:


Em que ano é que estamos?

Por uma questão de rapidez na resposta e de poupança de espaço, considere que as minhas respostas incluem sempre os normais cumprimentos. :)

Melhor informação nas notícias sobre tributação automóvel - um pedido

Acerca do impostosobreveiculos.info | Contacto

Todas as informações pretendem ser de leitura clara, simples e acessível, com o objectivo de constituirem um primeiro acesso à informação pretendida.
Por essa razão, poderão não ser totalmente completas ou tecnicamente exactas. No entanto, são dadas de boa fé e com base fundamentada na legislação em vigor.
Devido ao contexto e unicidade de cada caso, sempre que necessário, todas as informações deverão ser validadas por escrito junto da entidade oficial responsável.

Todos os direitos reservados - é permitida a cópia ou reutilização de partes deste sítio desde que seja atribuída a sua origem e autoria.
Política de Privacidade e de Tratamento de Dados Pessoais