Guia para comprar carros na Alemanha

Introdução

Apesar deste guia falar da Alemanha, pode ser aplicado a muitos países, as diferenças nas burocracias podem existir mas são ligeiras.
Pode, por exemplo ver as diferenças na importação de um carro de Espanha.

Importar carros da Alemanha sempre foi uma prática corrente em Portugal e em quase todos os países da UE - a Alemanha é o principal país exportador de automóveis da UE.
Com este guia pretendo ajudar quem quer comprar um carro na Alemanha, mostrando passo a passo tudo o que deve e pode fazer, para que a sua experiência seja a melhor possível.
É um artigo longo e exaustivo, com muita informação, para que não cometa erros desnecessários.

Dividi este tutorial sobre o processo de compra de um carro no estrangeiro em duas partes, esta primeira que está a ler - que descreve apenas a compra - e a segunda, que encontra noutra página e descreve a legalização do carro importado em Portugal.

Se não estiver disposto a todo este trabalho, há empresas que o têm por si, se é esse o seu caso, leia: empresas de importação de veículos.

Se tiver algo a acrescentar, uma dica, um truque, um aviso ou até uma crítica, algo que melhore a informação nesta página, agradeço que o faça usando a caixa de comentários no fundo da página. Sempre que se justifique, eu altero ou corrijo a informação dada.
Obrigado pela sua ajuda. :)

Resumo do processo de compra

Encontra nesta secção a mínima informação possível sobre o processo de compra de automóveis na Alemanha.
Na próxima secção, descrevo todos os passos em pormenor.

O que é necessário para o processo de compra na Alemanha:

Passos a seguir (duas pessoas):

  1. Escolher os modelos - 1 semana a 1 mês
    Custo - zero
    1. Pesquisar os preços e a oferta dos modelos que quer comprar (mobile.de, autoscout24.de)
    2. Fazer as contas para saber se compensa importar (standvirtual.com, auto.sapo.pt, olx.pt, simulador ISV)
  2. Iniciar o processo de compra - 1 semana
    Custo - cerca de 300€
    1. Definir se quer comprar à distância ou no local
    2. Definir se quer trazer o carro pessoalmente (1.000€) ou se vai contratar uma transportadora (750€/1.250€)
    3. Definir uma zona geográfica para limitar as viagens e a escolha
    4. Planear e marcar a viagem, voo (100€), alojamento (100€) e carro de aluguer (100€)
    5. Contactar os vendedores para esclarecer dúvidas
  3. Comprar o carro - 2 a 3 dias
    Custo - cerca de 200€
    1. Reservar algum carro se for caso disso
    2. Fazer a viagem
    3. Visitar os comerciantes ou vendedores e escolher o carro que quer comprar
    4. Fazer o pagamento
    5. Esperar 1 ou 2 dias para verificação do pagamento, seguro e matriculação (200€)
  4. Regressar a Portugal - 1 a 2 dias
    Custo - cerca de 600€ (combustível 350€, portagens 150€, alojamento 100€)
  5. Iniciar o processo de legalização - 1 semana a 1 mês
    Custo - cerca de 200€ + impostos

Custo total aproximado do processo de compra de um automóvel na Alemanha: 1.300€.

Este valor é calculado para duas pessoas, para uma cidade do sul da Alemanha, com alguma tolerância - pode gastar menos.

Noutra página fiz uma lista mais detalhada das despesas para importar um automóvel da Alemanha.

Que documentos deve trazer da Alemanha:

Isto é o essencial para ir comprar um carro à Alemanha.
Se quer saber mais, continue a ler.

Antes de começar

A partir daqui todos os passos serão descritos em profundidade, se não tem tempo para ler agora, pesquise mais tarde no Google por "guia comprar carros alemanha", em princípio, esta página será o primeiro resultado.

Antes de iniciar todo o processo:

No que diz respeito ao alemão, se em alguma altura ficar confuso, é importante conhecer algumas características da língua:

Instale duas aplicações no seu telemóvel: Google Tradutor e Tradutor da Microsoft.
Estas aplicações permitem-lhe manter uma conversa fazendo a tradução por voz em tempo real do português para o alemão e ao mesmo tempo do alemão para o português.

Não são perfeitas, têm alguns erros mas, são melhores do que não ter nada e permitem-lhe ultrapassar obstáculos mais complicados quando precisa de se fazer entender ou de entender o que lhe estão a dizer.
Experimente-as: instale a aplicação, inicie-a, ligue a televisão num canal alemão (se tiver acesso) ou aceda a rtl.de, coloque som num dos vídeos e veja como funciona.
São ferramentas especialmente interessantes porque a outra parte vê no ecrã como o motor de voz interpretou o que disse e pode logo perceber se interpretou correctamente ou não.

O que compensa

Regra geral, o que mais compensa importar, isto é, aquilo que fica mais barato lá do que cá, é:

O modelo ideal a importar é um carro Audi, BMW ou Mercedes, diesel, até 5 anos, com mais de 100.000km e em versões mais ou menos base (versões "business").
Isto é, normalmente, o perfil do carro mais barato na Alemanha que em Portugal. Porquê? Porque na Alemanha uma grande fatia dos carros comprados novos é comprado como ferramenta de trabalho e de remuneração dos trabalhadores das empresas, assim como começa a acontecer em Portugal.
Após alguns anos (4~5), e às vezes até mais cedo, as empresas renovam a frota porque faz mais sentido financeiramente - menor desvalorização, menor custo de manutenção, extinção/renovação de deduções fiscais, etc. São estas marcas as que mais compensam porque... são alemãs - na Alemanha compra-se mais alemão, assim como na França compra-se mais francês, e por aí adiante.

Compensa outros modelos ou perfis de automóveis? Sim, claro que sim, porém, são a excepção e não a regra. Este perfil é aquele que tem mais rotação, mais oferta logo, mais barato e mais fácil de encontrar.

No entanto, só analisando numa base de caso a caso é que se pode comprovar o que é mais interessante de importar.

Do que analiso, também pode considerar:

Existem depois diversos modelos específicos que não obedecem a nenhuma regra mas que são relativamente interessantes. Após algum tempo a pesquisar começará a perceber quais são.

Se não tem um critério específico, também pode pesquisar cá em Portugal quais são os modelos importados mais vendidos pelos comerciantes.
Vá a uma das plataformas de anúncios classificados automóveis e tente ver que modelos aparecem à venda com a característica de terem sido importados usados - aproveite o trabalho dos comerciantes que conhecem o mercado e já fizeram esta pesquisa por si. :)

Por outro lado, mesmo que ao mesmo preço que em Portugal, há modelos em que só na Alemanha se encontra oferta suficiente para se poder escolher.
Enquanto em Portugal estaria limitado a 2 ou 3 unidades, na Alemanha, mesmo que financeiramente possa ou não compensar importar, tem acesso a um mercado muito maior, com mais unidades, com configurações bem mais diversificadas, representando muito mais escolha que a que alguma vez teria em Portugal.

O facto mais importante quando está à procura de automóveis para importar é o das emissões de CO2.
A regra de ouro é: quanto mais emissões de CO2 e mais idade o carro tiver, menos compensa importar.
Modelos com baixas emissões, normalmente, compensa sempre importar, independentemente da idade.

Considere como referência limite - a partir deste valor não costuma compensar - qualquer automóvel com mais de 2 a 3 anos, a gasolina até 145g/km de CO2 e a gasóleo até 120g/km de CO2.
A partir dos 5 anos de idade, dos 175g/km de CO2 nos gasolina e dos 140g/km de CO2 nos gasóleo, o valor do ISV a pagar é muito elevado, não compensando a importação, criando-se uma situação em que em muitos dos casos o valor dos impostos a pagar ultrapassa o valor comercial do próprio automóvel.

Por vezes pode encontrar carros semi-novos, ou seja, com poucos quilómetros e poucos meses e ponderar a sua importação.
Nestes casos há que considerar um facto importante: se a nível de impostos são considerados novos ou usados.
Se forem considerados novos, terão obrigatoriamente que pagar IVA em Portugal independentemente de o terem pago na Alemanha. Isto pode complicar um pouco, não tem que pagar o IVA duas vezes mas, o processo de compra pode apresentar alguns obstáculos mais aborrecidos.

Para efeitos de impostos, são considerados novos todos os carros que não tenham mais de 6 meses desde a primeira matrícula e mais de 6.000km percorridos - as duas condições são obrigatórias.
Um carro com 5 meses e 7.000km é considerado novo, assim como também é considerado novo um carro com 4.000km e 8 meses.
Estes factos são apurados na data da transacção de compra e venda, ou seja, no momento da compra. Por causa disto, não pode comprar um carro com 5 meses e 5.000km e esperar que cumpra os 6.000km e os 6 meses para o legalizar.
Para mais informações sobre isto: IVA na importação de carros.

O que não compensa

Do que tenho percebido, não compensa importar:

Mais uma vez, há excepções mas, de uma forma geral estes são os negócios que não compensam tanto, poderão até ficar mais baratos na origem mas, somando o trabalho, os impostos e os custos associados à importação e legalização, a diferença para um nacional bem negociado, com garantia local, é marginal.

Também existirão oportunidades na Alemanha que podem fazer compensar qualquer um dos casos acima indicados mas, essas mesmas oportunidades também poderão surgir em Portugal.

Depois, tem a questão das retomas que, caso importe um carro, não existem. Pode vender o seu actual carro a um particular ou a um comerciante mas, em alguns casos, poderá ser mais difícil a venda, não por causa do valor de venda mas, pelo processo de venda e pelo tempo gasto.

Mais abaixo explicarei melhor como é que pode aferir se um determinado negócio compensa ou não.

Onde procurar

Existem duas grandes plataformas de anúncios classificados automóveis na Alemanha:

Em princípio, ao pesquisar nestas duas plataformas não precisa de pesquisar em mais nenhuma. Todas as outras são secundárias e não têm tanta oferta quanto estas.

Sempre que num anúncio aparecem dois preços - em inglês Gross/Net, em alemão Brutto/Netto - isso quer dizer que é possível comprar com IVA (Gross/Brutto) ou sem IVA (Net/Netto). O IVA dos carros na Alemanha é a 19% (16% até ao final de 2020).
De forma muito simplista, se é um particular "normal", o preço Net/Netto não se aplica, não pode comprar o carro por esse preço.
O preço Net/Netto é apenas para sujeitos passivos de IVA, se não sabe se é um, é porque não é.
Escrevi sobre isto em pormenor aqui: IVA na importação de carros ou motos.

Se procura uma marca em específico, pesquise também nos sítios das marcas:

Se quiser procurar apenas carros à venda por particulares, o sítio com mais anúncios deste tipo é o ebay Kleinanzeigen (kleinanzeigen = anúncios classificados).

Prepare-se para traduzir muito alemão. A minha ferramenta preferida é o DeepL, é mais fiável e exacto que o Google Tradutor (a empresa é alemã).

O que comprar

Terá já com certeza alguns modelos em vista que gostaria de comprar. Falta saber se compensa importar ou não.

Vou fazer uma experiência, usando como exemplo uma BMW 320d Touring (carrinha) com 4 anos (2015). Sendo um usado, não posso escolher o equipamento ou a cor mas, opto por unidades com o equipamento normal e menos de 100.000km.
Como é um exercício, não vou ser demasiado exigente e procurar exactamente o mesmo modelo, com o mesmo equipamento, nem vou tecer considerações sobre outras questões, este exercício é apenas para que possa perceber como fazer. No entanto, num caso real, deverá sempre escolher os modelos mais parecidos (em nível de equipamento e motorização e, o mais importante, emissões de CO2).
Vou também usar valores seguros, isto é, vou optar por alguns valores máximos (nas despesas por exemplo) para que não haja surpresas.

Agora, um exemplo oposto... Peugeot 3008 (novo modelo) de 2016 (3 anos), máximo 100.000km, versão mais ou menos equipada, motor 1.6 BlueHDi, 111g/km CO2.

Tendo em nota o que disse anteriormente sobre o que compensa e não compensa importar, vá analisando e vendo o que é melhor para si.
Se quiser partilhar com todos as suas observações sobre que modelos escolher, use o espaço para comentários mais abaixo - eu agradeço.

Algumas considerações e observações que deve ter na procura:

A quem comprar

Existem cinco tipos de vendedores:

A primeira coisa a saber é: se o negócio é demasiado bom, ignore. Em 99% dos casos é burla. O modus operandi é:

Nunca transfira dinheiro sem ter certeza absoluta do que está a fazer. Se tiver dúvidas, pergunte aqui, eu ajudo.

Por princípio, quando ordeno uma pesquisa do mais barato ao mais caro, tenho sempre muita cautela com os primeiros anúncios - por regra, é a zona preferida para despachar carros com problemas, sejam eles de que espécie forem (carros mal reparados, quilómetros adulterados, burlas, etc.).

No mobile.de há dois indicadores que me dizem como devo considerar um vendedor:

Os pequenos comerciantes podem ser uma boa escolha se tiverem algum histórico. Em princípio, terão feito uma revisão mais criteriosa do estado do veículo. É também de esperar que sejam mais atenciosos, devem deixar fazer test-drive do carro, é possível que se possa também negociar o preço ou qualquer outra benesse - oferta das matrículas/seguro e ou do COC.
Tenha algum cuidado quando vir instalações improvisadas (contentores), carros "ao monte" em terrenos só com gravilha, carros e instalações sujas, sem pessoal disponível para atendimento e, no geral, que se recusem a muitas informações sobre o carro. Se possível, escolha comerciantes típicos, com instalações fixas e limpas.
Antes de ir, coloque no Google Street View a morada do vendedor e veja o aspecto das instalações e da zona.

Os vendedores que têm melhor preço são os grandes comerciantes mas, esta não é uma regra absoluta. O test-drive é difícil pela grande quantidade de carros, pelo que se o carro tiver algum problema que não tenha sido detectado, pode dar origem a uma situação aborrecida.

Os concessionários oficiais são talvez aqueles que oferecem mais confiança, no entanto, o preço nunca costuma ser tão simpático.
Alguns oferecem programas da marca com garantias de 2 anos válidas em toda a Europa, como a Audi - :plus, a BMW - Premium Selection, ou a Mercedes - Junge Sterne. Atenção que estas garantias não estão sempre disponíveis em todas as unidades à venda.

Os "falsos particulares" podem ser muita coisa, pessoas honestas que têm um part-time a vender carros, como pessoas que não oferecem as melhores garantias de fazer um bom negócio. Se sabe avaliar um carro usado, considere estes vendedores, se não sabe avaliar um carro usado, eu sugeria não optar por estes vendedores.

Por fim, os particulares podem oferecer algo que nenhum dos outros vendedores oferece: muito mais flexibilidade na negociação. O que não oferecem: serviço, o que significa que matrículas e seguro terão que ser tratados por si. Pode também ter alguma dificuldade na comunicação, enquanto nos vendedores profissionais o inglês é quase garantido, num particular isso já não acontece.
Sendo a Alemanha um país com uma forte indústria automóvel, há muitas pessoas com acesso a automóveis a preços simpáticos por estarem de alguma forma ligados a uma empresa do sector automóvel. Essas pessoas compram carros à empresa empregadora a preços mais baixos e revendem-nos num período relativamente curto, com relativamente poucos quilómetros. Isto acontece especialmente à volta das sedes e dos grandes centros produtivos - Ingolstadt, Munique (München/Munich) e Estugarda (Stuttgard), por exemplo. É uma opção muito interessante se se sentir à vontade para tratar do processo burocrático na Alemanha.

Garantias e cuidados

Como deverá compreender, garantia é algo complicado de obter quando compra um carro na Alemanha. Porém, nem sempre é impossível reparar um carro comprado na Alemanha ao abrigo da garantia.

Tal como em Portugal, as garantias dos automóveis usados são no essencial e muitas das vezes simples seguros, fornecidos por seguradoras especializadas, que prestam um serviço ao comerciante. Tendo isto em conta, é importante ressalvar que a garantia é obrigatória por lei e deve cobrir 100% do carro, enquanto estes seguros apenas a complementam, cobrindo apenas algumas partes do carro - aquelas onde as reparações são mais dispendiosas.
Por exemplo, se o motor partir, é a seguradora que paga mas, se o autorádio deixar de funcionar, já é o comerciante que deve reparar ou pagar a reparação.
Ora, de forma genérica, se comprar um carro na Alemanha e o trouxer para Portugal, se o motor partir e tiver uma garantia de cobertura europeia, pode reclamar e o seguro pode actuar mas, se o autorádio avariar, a não ser que leve o carro ao comerciante na Alemanha para reparar, estas seguradoras não serão úteis - componentes eléctricos não costumam ter cobertura destes seguros de garantia - mas tudo depende do que o seguro em questão abrange (há coberturas básicas e coberturas mais alargadas).

O processo é o seguinte: tem uma avaria, a oficina ou o proprietário participa ao seguro, se o custo da reparação for elevado há uma peritagem, a reparação é ou não autorizada conforme as coberturas e no final a factura é paga directamente ao reparador.
A cobertura desse seguro pode ser limitada nos componentes do carro e no âmbito geográfico: pode ser nacional (só válida na Alemanha) ou europeia (também válida em Portugal), e pode ter ou não assistência em viagem. Pergunte ao vendedor pela garantia, o que cobre, se é uma garantia europeia e qual o fornecedor da mesma (convém que exista representação em Portugal).
Se não for europeia, pergunte se é possível pagar um extra para ter cobertura europeia. Se não for possível, peça um desconto no preço - é um carro que para o vendedor não irá ter qualquer despesa em reparações no futuro e isso deve ser reflectido no preço.
Se não está interessado na garantia, peça também um desconto no preço de venda - o custo da garantia varia muito conforme a idade do carro, as características e a quilometragem mas é de esperar um desconto mínimo de 100€ a 300€.

Alguns concessionários "oficiais" costumam ter programas de usados certificados, em que uma das caraterísticas é ter uma garantia europeia que pode usar num reparador oficial da marca em Portugal. É uma opção interessante que lhe permite ter alguma tranquilidade. No mobile.de costuma ver na listagem de anúncios a ficha destes carros com um logotipo por baixo da descrição das características e com a legenda "This vehicle offers".

As seguradoras de garantias mais comuns na Alemanha são a Real Garant e a CarGarantie, ambas com representação em Portugal.

Quanto a cuidados, não costuma haver grandes problemas nas compras mas, é preciso alguma atenção, essencialmente com os vendedores, como expliquei acima.

Um dos principais cuidados que deverá ter é com os carros acidentados. Legalmente, um anunciante é obrigado a comunicar se um carro foi ou não objecto de uma reparação resultante de um acidente. Essa reparação tanto poderá ser ligeira - um para-choques ou uma porta, como algo mais complicado. O termo alemão que deverá procurar na página do anúncio é "unfallfrei", que em português quer dizer que não teve acidentes. Com isto não quero dizer que não deve comprar carros reparados, desde que a reparação tenha sido bem feita, não há qualquer motivo para não comprar. No entanto, é um facto que deve sempre considerar - se não vir a menção "unfallfrei", preste especial atenção na vistoria do carro antes de o comprar.

Outra questão é a dos carros de rent-a-car, que podem ser um pouco mais maltratados no dia a dia que um carro de um só condutor. Muitas vezes esse facto não é anunciado mas, o termo em alemão para dizer que um carro era de rent-a-car é "ex-mietwagen". Carros com pouco tempo (até 1 ano) e menos de 25.000km são na grande maioria de rent-a-car. Os problemas que estes carros podem apresentar só se notam mais para a frente e nunca imediatamente - falo de discos de embraiagem, suspensões, ruídos parasitas, etc.

Como comprar

Pode comprar um carro na Alemanha de duas formas: presencialmente, viaja e traz o carro ou, à distância, compra o carro à distância e contrata uma transportadora para o trazer.

O custo das duas soluções é muito parecido mas, podemos definir as vantagens e desvantagens de cada uma das soluções da seguinte maneira:

Viajar e trazer o carro

Comprar à distância e contratar transportadora

A viagem de ida

Por causa da neve e do frio, evite os meses de Inverno: Dezembro, Janeiro e Fevereiro.
Pesquise as melhores alturas para o voo e planeie a viagem com alguma antecedência - 1 mês pelo menos. Dessa forma consegue os melhores preços, tanto no voo, como no alojamento e no aluguer do carro.
Os alemães ainda usam muito o dinheiro - levante algumas centenas de euros para o que for preciso, nem sempre os cartões bancários funcionam. Deve ter um cartão de crédito com um plafond generoso (>1.000€), facilita muito a marcação do alojamento e do rent-a-car.

Os alemães têm uma rede ferroviária muito extensa e completa. Pode optar por se deslocar entre cidades desta forma em vez de alugar um carro. Alguns comerciantes indicam que podem ir buscar os clientes à estação dos comboios e até podem preparar a estadia num alojamento local.

Restrinja a sua zona de visita a algumas dezenas de quilómetros, um raio de acção de 1 a 2 horas de carro, escolhendo previamente até 5 carros em locais diferentes para poder escolher aquele que gostar mais ou com que se sente melhor.

Verificação do veículo

Um dos grandes problemas dos carros na Alemanha é o da ferrugem. Porque usam o sal para "derreter" o gelo e a neve das estradas, os "chassis", as chapas inferiores dos carros, guarda-lamas, eixos e suspensões - a parte que está mais exposta às estradas - sofrem muito de corrosão (ferrugem) por causa disso.
Há quem diga que esta corrosão num carro pode ser mais uma chatice a nível visual que a nível funcional mas, tudo depende das peças afectadas e do grau de corrosão. Se a curto prazo pode não ser grave, a longo prazo (décadas) nunca é algo bom.
Independentemente destas opiniões, é importante verificar se o carro está muito ou pouco corroído na parte inferior. Com um selfie-stick e um telemóvel com lanterna/flash consegue ver mais ou menos se há zonas muito preocupantes.
É também natural que, quanto mais antigo for o carro, maior a corrosão. Também é expectável que os carros das zonas mais a sul e de cotas baixas (altitude) não sofram tanto como os carros das zonas mais a norte ou com cotas altas, por não terem tanta neve ao longo do ano.

Fora isto, os cuidados que deve ter são iguais a qualquer compra de usados: pergunte pelo livro de revisões, verifique se está totalmente preenchido e onde foram feitas as revisões, veja se há zonas com tons de pintura diferentes - que denunciam repinturas por causa de acidentes, verifique o alinhamento dos painéis de chapa à procura de diferenças grandes, preste atenção às partes estruturais a ver se não estão reparadas ou soldadas, ligue o motor e tenha atenção a ruídos estranhos, funcionamentos irregulares e experimente tudo o que se mova (portas, fechos, elevadores de vidros, cintos, bancos, etc.) e que funcione a electricidade.

Em princípio não deverá acontecer mas, verifique se a inspecção periódica está válida - a primeira aos 3 anos, depois de 2 anos em 2 anos. Evite comprar um carro cuja validade da inspecção esteja a expirar. O termo alemão mais usado para a inspecção periódica obrigatória é "HU", que é uma sigla de Hauptuntersuchung (inspecção geral). O selo da inspecção na Alemanha é um autocolante circular que se cola na matrícula traseira com a data da validade, em que a cor corresponde a um ano exacto (2020 é azul por exemplo).

Vire costas sem remorsos sempre que veja que algo não está bem.

Pagamento

Neste momento já deve ter o dinheiro disponível na sua conta bancária.
É possível conseguir crédito para ir comprar um carro usado ao estrangeiro?

Informe-se previamente sobre os tipos de pagamento aceites nos vendedores que visitar. Evite pagar em numerário por uma questão de segurança - se o vendedor só aceita numerário, não são boas notícias.
Verifique também junto do seu banco se já suportam transferências SEPA instantâneas/imediatas (limite 15.000€), e se há algum limite para fazer essas transferências - alguns bancos impõem limites diários para as transferências e podem até, ao detectar que a transferência está a ser feita do estrangeiro, bloquear a transferência por causa disso. Descarregue a aplicação para telemóvel (app) de homebanking do seu banco e leve uma bateria externa (powerbank). Leve consigo pelo menos dois cartões bancários, de débito e ou de crédito.

Burocracias - matrícula e seguro

Pergunte ao vendedor se lhe pode fornecer o COC (certificado de conformidade).
É um documento importante que poupa algum trabalho e tempo em todo o processo.
Alguns vendedores podem não ter o COC, outros podem te-lo logo no imediato, outros terão que o pedir, assim como podem cobrar o COC ou podem não cobrar, tudo é possível mas, o ideal é que traga sempre consigo o COC, mesmo que tenha que o pagar. O custo varia entre os 100€ e os 250€, conforme a marca.
Se não trouxer o COC da Alemanha, pode pedi-lo em Portugal ou pela internet mas, demora sempre algum tempo a recebe-lo (entre alguns dias a um mês), atrasando assim o processo de legalização.

Conforme o vendedor escolhido, este pode tratar de todo o processo de exportação por si: registar uma matrícula temporária, contratar um seguro e pagar o "IUC alemão".

A matrícula pode ter validade de 3 a 5 dias (amarela) e de 15 dias a 1 ano (vermelha). O custo de emissão desta matrícula varia bastante consoante o estado alemão e não tem um valor directo, sendo variável consoante o caso em apreço (se tem matrícula definitiva, se não tem, etc.).
Mas, a título indicativo, conte com cerca de 50€, mais o custo das chapas, cerca de 20€.

Existem dois tipos de matrículas temporárias na Alemanha - as amarelas e as vermelhas.
Como as matrículas portuguesas, estas matrículas temporárias têm uma faixa à direita com um fundo de cor amarela ou vermelha, onde está inscrita a data de validade da matrícula. As de fundo amarelo (mais baratas) são temporárias para circulação dentro da Alemanha. As de fundo vermelho (mais caras) são temporárias para exportação. Na prática, ambas podem ser usadas para trazer um carro para Portugal mas, enquanto nas vermelhas não há qualquer problema legal - são o que são, de exportação - algumas autoridades no caminho para Portugal podem levantar objecções ou problemas por causa das amarelas.
Quer isto dizer: se lhe derem a escolher, escolha sempre as de fundo vermelho, de exportação.

O seguro temporário, apenas de responsabilidade civil (contra terceiros), é válido pelo mesmo prazo da matrícula e aumenta de custo conforme o prazo. Normalmente, não custa mais de 100€ a 150€ para 15 dias.

O seguro deve ter uma duração que lhe permita viajar e tratar de todo o processo de legalização em Portugal. Pode escolher o mínimo mas, se não tem a papelada toda (COC por exemplo) eu aconselho pelo menos 30 dias, nunca se sabe se surge algum obstáculo, tendo depois que ficar com o carro parado porque a matrícula ou o seguro expirou.

O "IUC alemão" a pagar corresponde ao proporcional de 1 ano pelo prazo de validade da matrícula. Ou seja, se o IUC alemão anual é 120€, 1 mês corresponde a 12€ e 15 dias a 6€. O valor, tal como o IUC português, varia consoante as características do carro, pelo que não é possível dar um valor estimado (simulador "IUC alemão").

Se comprar a um particular, pode tentar pedir-lhe ajuda senão, terá mesmo que fazer todo este processo de emissão da matrícula, do seguro e do pagamento do imposto por sua conta.
Se o fizer, pode ter alguns problemas logísticos, especialmente se não falar alemão.
No essencial, o processo é o seguinte:

Também pode trazer o carro com as matrículas definitivas já existentes e com o seguro em nome do vendedor, exactamente como faz numa compra de um automóvel usado em Portugal - é indiferente se compra a um particular ou a um comerciante.
Não é uma boa forma de fazer as coisas para o vendedor mas é perfeitamente possível, desde que tenha consigo toda a documentação do carro, a declaração de venda e, se comprar a um comerciante, a respectiva factura.
Quando chegar a Portugal o processo de legalização é exactamente o mesmo só que em vez de o IMT apenas registar o novo carro, irá remeter os documentos originais às entidades alemãs.
Em Portugal, se quiser e em vez de o fazer através do IMT, também pode fazer o cancelamento das matrículas e do registo junto da Embaixada ou do Consulado da Alemanha.
Nestes casos tem sempre que devolver as placas de matrícula.

Documentos a trazer

Neste momento, depois de tudo feito e pronto a seguir viagem, deverá ter consigo:

Compra a um particular ou a um comerciante

Compra a um comerciante

Viagem de volta

Está na hora de voltar.
O ideal será vir com calma e pernoitar a meio caminho. Alguns hotéis de estrada são bastante acessíveis e bastante automatizados, permitindo-lhe passar a noite sem grandes complicações.
Use o Waze para planear a sua viagem e marque o hotel com bastante antecedência para que não tenha que andar à procura, cansado, de um local para dormir.

Cuidado com os limites de velocidade, neste momento já é possível e muito comum que lhe apareçam na sua caixa do correio multas de outros países para pagar.

No que diz respeito às portagens e ao combustível, pode levar dinheiro mas, desde que tenha um cartão bancário VISA ou Mastercard, não deverá ter qualquer problema no pagamento.

Se optar por transportar o carro de camião, a contratação costuma ser responsabilidade do comprador.

Alguns comerciantes facilitam e podem tratar da entrega mas, o custo pode ser bem superior - os salários alemães, dos motoristas alemães, são bem diferentes dos portugueses, além de que a logística pode ser mais complicada - é importante escolher alguém que faça rotas habituais para obter melhores preços, e Portugal não costuma ser dos destinos com mais volume. Pense que fica mais caro um camião ir cheio num só sentido, do que um que vem e vai cheio nos dois sentidos.

Deverá contactar um transportador especializado português e pedir um orçamento, aliás, deve pedir pelo menos 3 orçamentos a transportadores diferentes para poder comparar propostas.
Tenha no entanto o cuidado de pedir orçamentos exactamente para o mesmo serviço, para que os possa comparar correctamente:

O ideal será pedir uma cópia do contrato de adjudicação antes e ler atentamente todas as condições. Se a empresa não tiver um contrato de adjudicação ou semelhante, pode ser um sinal de pouco profissionalismo, com todas as consequências que daí podem advir.

Os documentos devem acompanhar sempre o carro no transporte de camião.
Deverá receber também uma guia CMR, com datas de recolha e entrega, entre outras informações, para entregar no processo de legalização (junto com a DAV).

Legalização em Portugal

Chegado a Portugal, está na hora de começar o processo de legalização. Quanto mais depressa o fizer, melhor, não se esqueça do prazo de validade da matrícula e do seguro.

Sobre o processo de legalização escrevi outro guia, é só seguir as instruções: como legalizar carros importados.

Questões e comentários

Se tiver problemas ou dificuldades, pode descreve-los usando a caixa de comentários mais abaixo, tentarei ajudar dentro do que puder e souber.

Agradeço qualquer participação sua, especialmente se for para corrigir ou melhorar este guia. :)

22.11.2019. 15:18

Maria Céu Martins em 17.04.2021. 15:46

Boa tarde,
em primeiro lugar pelo fantástico trabalho! Li atentamente os vários passos necessários para ir buscar um carro à Alemanha confimei que não é algo que me sinta capaz de fazer sozinha...
Passo a explicar a minha situação: preciso adquirir um carro adaptado com rampa para cadeira de rodas. Em Portugal pedem-me cerca de 9 mil euros só pela transformação e o carro tem que ser de um modelo que ainda seja fabricado, ou seja de 2018 em diante. Feitas as contas fica muito caro para o que eu posso pagar e os modelos disponíveis para transformação são poucos. Para agravar a situação não tenho direito a benefícios fiscais devido a deficiência.
Vi que na Alemanha existem muitos desses veículos já adaptados com preços, idades e km variados. Já percebi que há vários impostos a pagar, mas não sei bem para que idades e emisões de CO2 devo apontar a minha pesquisa de modo a compensar a compra. Os modelos são vários, como mercedes citan, citroen berlingo ou VW caddy.
Além disso terei sempre que optar por contratar um profissional para tratar de todo o processo. Como poderei saber se é alguém confiável e se os valores que me pedem de comissões são corretos ou não?
Ficar-lhe-ei eternamente grata se me puder ajudar.
Obrigada

Valter Matos em 16.04.2021. 01:14

Boa noite,
Como fazer a simulaçao para Taxi uma VW Sharam de 06/17 CO2: 135g : CC1968: valor 7999€.
nao vi como calcular.
E como calcular em metodo alternativo, o que é necessario e como se faz
Obrigado

FD em 11.04.2021. 16:47

@José Almeida em 08.04.2021. 12:50

Em princípio, não será muito mais elevado mas, depende tudo da seguradora, do tipo de seguro (quantos dias, que coberturas) e do tipo de carro (o risco para um Ferrari é diferente do risco para um VW up!).
Não vejo que possa ter problemas por causa da idade.

José Almeida em 08.04.2021. 12:50

Tenho 20 anos e quero ir buscar uma viatura a Alemanha. O valor das matrículas temporárias serão muito mais caro devido a minha idade? Acham que terei algum problema devido a minha idade no processo de compra da viatura ? Obrigado pela atenção

FD em 02.04.2021. 17:22

@Tiago em 01.04.2021. 16:41

Terá de pagar o IVA em Portugal (autoliquidar).
Dependendo da sua actividade, pode ou não deduzir o IVA pago - consulte o seu contabilista.

Tiago em 01.04.2021. 16:41

Boa tarde. Antes de mais obrigado por criar um site bastante completo. Agora a minha dúvida.
Sou empresário em nome individual, no qual trabalho com recibos verdes, ao comprar um carro na Alemanha poderia comprar sem iva ? Será para usar pessoal, tenho pagar o iva em Portugal depois ? Obrigado

FD em 14.03.2021. 12:15

@Miguel em 13.03.2021. 23:39

Não há qualquer problema, basta passar uma declaração de doação ou venda aos seus pais.
Com esse documento eles podem registar a mota no nome deles.

Miguel em 13.03.2021. 23:39

Boa Noite. Desde já um muito obrigado pela dedicação em construir este website com tamanha qualidade de informação.
No entanto gostaria de lhe colocar uma questão.
Estou a residir na Finlândia e tenho em vista a compra de uma mota cá e exportá-la para Portugal. No entanto, como tenho a minha residência fiscal na Finlândia, a mota teria que ser registada em Portugal em nome de algum dos meus pais. Há algum inconveniente se a compra cá na Finlândia for feita em meu nome? Estou a pensar se irá haver problemas em Portugal se o registo for feito em nome dos meus pais mas o meu nome aparecer em todos os documentos que comprovam a compra da mota.

FD em 11.03.2021. 11:20

@Claudio em 11.03.2021. 00:19

O preço está dentro da média, se calhar, sendo um amigo, um pouco elevado.
Por menos 1.000€ a 1.500€ é um bom negócio.

Tenha noção no entanto do consumo de gasolina em ambiente urbano - espere uma média de 8L a 9L.
Não é grave se andar pouco com o carro mas, é importante que conheça o valor.

Claudio em 11.03.2021. 00:19

Boa Noite

Antes de mais, muitos parabéns e muito obrigado por todo o trabalho que fez! Definitivamente bastante esclarecedor!

Gostaria no entanto que me desse a sua opinião em relação à compra de um carro de um amigo meu que reside na Alemanha.

Mercedes Classe A 180 de Novembro de 2017
1595 cc
122 CV
36 102 Km
Emissōes de CO2 NEDC: 127g/Kg
Automatico a Gasolina
Ainda com mais de 1 ano de garantia
Extras: Pack Business
tecto panoramico
Estofos em Pele

Preço: 18 mill Euros

Obrigado e cumprimentos

FD em 08.03.2021. 10:52

@Alexis Hildenbrand&Ana Carreira em 07.03.2021. 16:19

Qual é a morada que têm registada nas Finanças?
Se for portuguesa não deverão ter problemas.
Se for estrangeira também não mas, não sei se não existirão outros custos associados.

Alexis Hildenbrand&Ana Carreira em 07.03.2021. 16:19

Boa tarde,
Desde já muito obrigado e parabéns pelas suas explicações! São uma excelente ajuda para nós, actualmente pois temos o plano de comprar um carro (trata-se dum VW golf variant 1.0 tsi de 2017) que já fomos ver et que queriamos trazer para Portugal.
Vivemos actualmente na Suiça, eu sou Alemão e a minha esposa é Portuguesa.
Pode dizer-me se o facto de nós residimos na Suiça pode ser um problema no processo administrativo? Ou devemos dar como referência uma morada portuguesa?
Não vamos atravessar a Suiça, mas ficar sempre na Zona EU para evitar problemas...
Obrigada pela sua resposta
Votos de boa semana e melhores cumprimentos.

FD em 07.03.2021. 12:32

@Theo em 07.03.2021. 00:40

Leia por favor: empresas de importação de veículos.

Theo em 07.03.2021. 00:40

Ola, li com bastante atenção o seu texto bem como as perguntas que foram feitas e pude aprimorar e muito o meu conhecimento sobre comprar carro na Alemanha. Parabéns pelo trabalho. Porem, gostaria apenas de escolher, pagar e buscar o carro na alemanha, o resto ficar a cargo de um assessor confiável pra me acompanhar e suportar por todo o burocrático processo. A quem posso recorrer? Qual seria a sua orientação? Cumprimentos.

Jordy em 11.02.2021. 23:14

@FD em 10.02.2021. 11:07

Obrigado.
É completamente compreensível então a posição do vendedor. Imaginando todos esses cenários.

Obrigado mais uma vez ;)

Jordy

FD em 11.02.2021. 15:20

@joao simoes em 11.02.2021. 14:38

Traz os mesmos documentos, excepto o seguro.
Além disso, deve receber a guia de transporte (CMR) do transportador.

joao simoes em 11.02.2021. 14:38

Boa tarde,

Excelente artigo, muito obrigado.

Consegue explicar sucintamente o processo de ao invés de ser eu a ir buscar o carro, peça a uma transportadora para o trazer? Como por exemplo, como faço com os documentos que se têm de trazer?

Muito obrigado desde já

FD em 10.02.2021. 11:07

@Jordy em 09.02.2021. 23:49

Exacto: multas de trânsito, impossibilidade de cancelar o registo na Alemanha, sendo obrigado a pagar impostos para sempre, responsabilidade por algum problema que possa existir (acidentes - ele corre um risco porque não sabe se o seu seguro é ou não válido ou se sequer o fez, etc.), tudo agravado em especial por causa da distância e da impossibilidade de resolver o problema sem ter demasiadas chatices.

Jordy em 09.02.2021. 23:49

FD em 08.02.2021. 10:37

Boa noite,

Não querendo parecer desleixado, tinha lido esse paragrafo :)
No entanto, sendo todo o processo simplificado optando por esse método, surgiu a questão e, no fundo, para mim era a forma mais simples e rápida.

No entanto o vendedor já disse que não aceita essa condição, infelizmente.

Só para fechar o tema: a questão que se coloca aqui para o vendedor é tudo o que "o carro" possa fazer até deixar de estar oficialmente em nome dele?!

A seguradora é a Tranquilidade. Há dois anos fui buscar um carro a França e foi também assim que fiz.

Obrigado ;)

Jordy

FD em 08.02.2021. 12:01

@Raphael Almeida em 08.02.2021. 09:50

Se o carro tiver uma matrícula definitiva alemã, o ISV é calculado pela data da primeira matrícula, no caso, dos EUA.
Quanto ao IUC, o que conta é sempre a data da matrícula na Alemanha.

FD em 08.02.2021. 10:37

@Jordy em 07.02.2021. 13:03

As implicações estão descritas no texto:

Também pode trazer o carro com as matrículas definitivas já existentes e com o seguro em nome do vendedor, exactamente como faz numa compra de um automóvel usado em Portugal - é indiferente se compra a um particular ou a um comerciante.
Não é uma boa forma de fazer as coisas para o vendedor mas é perfeitamente possível, desde que tenha consigo toda a documentação do carro, a declaração de venda e, se comprar a um comerciante, a respectiva factura.
Quando chegar a Portugal o processo de legalização é exactamente o mesmo só que em vez de o IMT apenas registar o novo carro, irá remeter os documentos originais às entidades alemãs.
Em Portugal, se quiser e em vez de o fazer através do IMT, também pode fazer o cancelamento das matrículas e do registo junto da Embaixada ou do Consulado da Alemanha.
Nestes casos tem sempre que devolver as placas de matrícula.

Se conseguir fazer um seguro em Portugal com a matrícula alemã, é viável, salvaguardando a questão de ter que cancelar depois o registo alemão, enviando as matrículas para o vendedor.
Já agora, qual foi a seguradora que lhe disse que isso era possível?

Raphael Almeida em 08.02.2021. 09:50

Bom dia,
No caso de um veículo importado dos EUA para a Alemanha e que agora quero trazer para Portugal, qual a data que conta para estabelecer a antiguidade do veículo (o primeiro registo nos EUA ou na Alemanha?
Obrigado

Jordy em 07.02.2021. 13:03

Boa tarde, parabéns pelo excelente trabalho.

Uma questão:

Estou em negociação com um veículo que está na Alemanha e surge me aqui uma dificuldade:

Sendo o vendedor um particular e estando os serviços previsivelmente a meio gás (covid) para tratar das matrículas de exportação, questiono o que implica (para mim e para o vendedor) optar por trazer o carro com as matrículas "originais".
Pelo que me informei consigo fazer um seguro em Portugal mesmo com a matrícula estrangeira. Assim sendo, é viável?

Obrigado, Jordy

FD em 07.02.2021. 12:48

@José Moreira em 07.02.2021. 10:46

Não consegue fazer a legalização sem a Teil I.
Tem mesmo que pedir uma segunda via ao vendedor - aliás, exija isso mesmo indicando que não consegue efectuar a legalização sem esse documento.

Quanto ao custo e tempo para a obter, desconheço.

Se tem a digitalização completa, pode preencher a DAV (anexando a dita digitalização) e pagar o ISV, cumprindo assim o prazo de 20 dias úteis.
O original apenas é necessário quando for entregar a documentação ao IMT.

Pelo sim, pelo não, se o vendedor dificultar a situação, confirme junto das autoridades portuguesas se o veículo não está dado como furtado - existe uma base de dados da Interpol com o registo de viaturas furtadas à qual as autoridades portuguesas têm acesso.

José Moreira em 07.02.2021. 10:46

Bom dia, desde já site 5* trabalho extraordinário, parabéns, tenho uma questão para lhe colocar a ver se me consegue ajudar, importei uma viatura recentemente da Alemanha (chegou a semana passada) viatura de 2008, mas nos documentos que vieram falta o livrete "TEIL I" só veio o "TEILL II" (ate vieram dois dos últimos proprietários) questionei o vendedor (stand) e disse que acha que enviou com o transportador, questionei o transportador e este diz que não recebeu inclusive anotou isso mesmo no CMR, voltei a contactar o vendedor disse que procurou no escritório e que não encontrou, durante o processo de negociação enviou o "TEIL I e o TEILL II" digitalizado daí eu estar seguro do negócio, estava tudo em ordem mas não o enviou, sugeri então ao vendedor pedir segunda via e este diz que ficaria dispendioso, até não me importaria de pagar dependendo do que seria dispendioso, acha que se resolve com o pedido de segunda via do TEIL I sabe quanto custa e quanto tempo demora (uma vez que tenho 20 dias para apresentar o processo na alfandega) ou haveria outra solução porque a cópia eu tenho não tenho é o original e esse documento é essencial, o vendedor sempre me pareceu sério, paguei a viatura toda na totalidade antecipadamente, a viatura veio sem problemas totalmente como descrito não acho que seja má fé, se calhar perdeu mesmo, fico á espera da sua opinião, um forte abraço, boa sorte para o site

FD em 21.01.2021. 10:10

@Luciano em 21.01.2021. 01:50

Normalmente sim, é possível tratar tudo no mesmo dia.
No entanto, como está a acontecer em Portugal, tanto quanto sei, os serviços públicos alemães só estão a atender por marcação, o que torna a tarefa mais complicada de gerir.
Além disso, os diferentes estados têm regras diferentes, terá que ver que procedimento está em vigor no estado em que o carro está registado.

O risco de conciliar tudo isto à distância é elevado, eu pensaria seriamente em adiar a compra.

Luciano em 21.01.2021. 01:50

*Ups, já percebi o motivo. A caixa de comentários não assume o símbolo de menor e corta o texto. Deixo aqui todo o comentário para que possa eliminar os anteriores.*

Olá @FD, agradeço a sua resposta.

Questionei a referida empresa e apercebi-me que é uma entidade intermediária e não uma autoridade de licenciamento, e que demoraria 1 semana a tratar do processo.

Tendo em conta o atual momento pandémico apenas posso permanecer no país até um max de 72 h. Após este período serei obrigado a cumprir um período de quarentena.

Por este motivo, questiono se tem conhecimento, quando o processo é tratado diretamente com as entidades legais alemãs, se é possível/ comum tratar tudo no próprio dia?

Cumprimentos, Luciano Santos

FD em 19.01.2021. 10:45

@Luciano em 18.01.2021. 17:25

Certo.

Quanto a essa empresa, é uma questão que terá que lhes colocar - eu desconheço a actuação da mesma.

Luciano em 18.01.2021. 17:25

Olá a todos. Estou em vias de importar um carro da alemanha diretamente de um particular, o que me fará tratar pessoalmente de todo o processo burocrático de adquirir as matrículas temporárias, seguro, etc... Tenho duas questões, as quais vou colocar aqui, pode ser que me saibam ajudar:

- Um individuo português pode adquirar matrículas temporárias alemãs (as matrículas de exportação vermelhas) certo?
- Tomei conhecimento de uma empresa (link abaixo) onde é possível tratar todo este processo num só local. Este processo é feito num só dia, ou é um processo que demorará vários dias?

https://www.zulassung24.berlin/

Obrigado desde já pela atenção que possa ser dispensada nas questões colocadas.

Ricardo em 14.01.2021. 16:20

Muitos Parabéns pelo seu trabalho e pelas suas dicas!!

FD em 14.01.2021. 10:07

@Catalin Groza em 14.01.2021. 00:21

É mais difícil mas, é perfeitamente possível.
Tem é que fazer as marcações para atendimento presencial com alguma antecedência e às vezes escolher serviços mais longe da sua área de residência.
Houve pessoas que no ano passado o conseguiram fazer durante o confinamento, mas tiveram por exemplo que se deslocar de Lisboa a Setúbal ou a Santarém.

Catalin Groza em 14.01.2021. 00:21

Boas, primeiro gostaria de agradecer a tua ajuda, pois pretendo importar um carro a Alemanha e sem as tuas dicas a tarefa seria muito mais difícil.
A minha questão é a seguinte:

Eu estou no processo de vender o meu carro cá em portugal e com o dinheiro ir comprar um 320i coupé de 2008 a alemanha, encontrei um bom negócio. O isv felizmente baixou e está cerca de 1600€, por isso compensa importar. Mas com isto do confinamento em praticamente toda a Europa, ainda é possível importar veículos? Estou a falar em meios de Fevereiro/Inicio de Março.

FD em 08.01.2021. 10:06

@Diogo em 07.01.2021. 17:24

Se o vendedor não falou em matrículas é porque vem sem elas.

Diogo em 07.01.2021. 17:24

Obrigado.

De facto, nem perguntei ao vendedor se o carro vem ou não com matrícula alemã (se vier, mais vale pedir para tirar?), mas sim, o carro vem de reboque, logo não irá circular antes de estar tudo tratado em Portugal.

Obrigado mais uma vez.

FD em 07.01.2021. 15:47

@Diogo em 06.01.2021. 15:00

Se vem de reboque e não vai circular, o facto de não ter a inspecção alemã não me parece relevante.

Se tivesse matrícula alemã já seria diferente.

Não se preocupe, não deverá ter problemas, desde que não circule com o carro até ter matrícula portuguesa.

Diogo Vasconcelos em 06.01.2021. 15:10

Questiono isto pois no dia em que comprei o carro ele ainda não tinha 3 anos (contrato de compra e venda a 17 Dezembro e o carro fez 3 anos em 21 de Dezembro) mas quando ele chegar a Portugal e legalizar (na próxima semana) já têm mais de 3 anos.

O carro vem de reboque para Portugal.

Diogo em 06.01.2021. 15:00

Obrigado pela resposta.

Sendo assim, e tendo o carro 3 anos, se não tiver o TUV, terei algum tipo de problema na inspeção/legalização do automóvel?

Obrigado

FD em 06.01.2021. 11:11

@Diogo em 05.01.2021. 11:02

Estive a verificar e são mesmo 3 anos e depois de 2 em 2 anos.
Obrigado pela chamada de atenção, vou corrigir o texto.

Diogo em 05.01.2021. 11:02

Bom dia,

Consegue-me confirmar se o TÜV-Bericht ou HU-Bescheinigung (Alemanha) é obrigatório de ter quando o carro tem mais de 4 anos ou 3 anos? Pelo que o vendedor me confirmou, seriam 3 anos...

Obrigado,

FD em 16.12.2020. 13:55

@Eduardo Silva em 16.12.2020. 13:21

Pode ter problemas em França e Espanha com as matrículas amarelas.
Eu aconselho sempre matrícula vermelhas, mesmo que a diferença seja alguma.

Eduardo Silva em 16.12.2020. 13:21

Boas.

Imaginemos que eu quero comprar o carro na alemanha, ir lá pessoalmente busca-lo e fazer a viagem por estrada até portugal.

Chegando a portugal tenho local para guardar o carro e não tenho qualquer necessidade de andar com ele em estradas portuguesas até este ter matricula portuguesa definitiva.

Neste caso, posso poupar uns euros optando por matricula amarela ou é mais conveniente optar pela vermelha para evitar algum stress pelo caminho?

Obrigado pela atenção e por toda esta explicação super pormenorizada

FD em 25.11.2020. 11:06

@Marcelo Coutinho em 24.11.2020. 10:42

Se emitir mais de 0,001g/km de partículas por km, sim, existe uma taxa de 500€.
Como é que sabe se emite?
No COC, procure no campo das emissões pelo termo "Mass of particulate matter (PM)" ou "Partikelmasse (PM)" ou "Massa di particolato (PM)" ou o termo equivalente na língua em que o COC é emitido e veja que valor está a aí inscrito.
Se não tiver qualquer valor, se não tiver acesso ao COC, se o veículo cuja homologação nacional seja a mesma não tiver, ou se tiver e o valor for superior a 0,001g/km, tem de pagar a taxa.

Regra geral, todos os carros com filtro de partículas cumprem este limite.

Tudo isto está explicado na página do simulador na secção "Emissão de partículas".

Marcelo Coutinho em 24.11.2020. 10:42

Obrigado pelas informações.

O carro que estou a negociar é um Smart Fortwo 2008 cdi de 799cc e 88gr de co2.
Algumas pessoas informaram-me que iria sofrer um agravamento de 500€ na legalização da viatura, além do valor de 199€ que é o valor do ISV do simulador aqui presente.

Consegue confirmar-me está informação?

FD em 24.11.2020. 09:00

@Marcelo Coutinho em 23.11.2020. 18:16

A única diferença será no livrete e título de registo de propriedade, que serão diferentes em aspecto, uma vez que irá pedir matrículas de trânsito de exportação.
De resto, deverá receber também o CarPass, um documento que atesta e comprova a quilometragem do veículo.

Marcelo Coutinho em 23.11.2020. 18:16

Peço desculpa de estar a incomodar outra vez.

O artigo fala mais ou menos especificamente da compra de carro na Alemanha.

Neste caso estou a negociar um carro na Bélgica.
Os documentos necessários são os mesmos?

Cumprimentos

FD em 23.11.2020. 14:39

@Marcelo Coutinho em 22.11.2020. 19:47

Não posso ajudar muito... pode tentar um cheque internacional (cheque emitidio sobre o estrangeiro) a ser entregue pela transportadora mas, suspeito que manteriam o carro cativo até o cheque "cair na conta", o que implicaria mais alguns dias de espera (inclusive da transportadora).

Ou confia e faz a transferência ou vai lá pessoalmente, não há muito a fazer.
Existem alguns serviços que servem de "escrow" mas eu, pessoalmente, não vejo grande utillidade nos mesmos porque apresentam riscos iguais ou maiores.
Entre confiar em alguém que lhe vai vender um carro, com uma porta aberta e uma reputação a manter e alguém que nem lhe vai vender nada e apenas servir de intermediário... venha o diabo e escolha.

FD em 23.11.2020. 13:52

@Paulo Rocha em 22.11.2020. 17:12

Leia por favor: importar um carro para peças ou para não circular.

Marcelo Coutinho em 22.11.2020. 19:47

Boa noite,

Gostaria em primeiro de destacar o excelente artigo que aqui apresentou. Muito completo e muito explícito todos os pormenores.

Gostaria de esclarecer uma questão.
Estou em processo de compra de uma viatura na Bélgica. Já fiz bastante pesquisa acerta do vendedor e do Stand. Parece-me ser de confiança dado o número de carros que tem á venda, dada a qualidade e aspeto do Stand e também devido á disponibilidade do vendedor em esclarecer várias questões que coloquei.

Infelizmente não vou conseguir ir buscar o carro presencialmente nem vou conseguir deslocar-me para proceder ao pagamento da mesma.
Já tenho uma transportadora praticamente contratada para realizar o levantamento da mesma.

A única questão que gostaria de ajuda diz respeito às hipóteses de métodos de pagamento que poderei optar. Dado que não vou lá presencialmente tenho receio de realizar uma transferência para pagamento da viatura é algo correr mal.

Cumprimentos

Paulo Rocha em 22.11.2020. 17:12

Peço desculpa mas tenho mais uma pergunta: se o carro não estiver em condicoes de uso e precisar de reparações antes de ir a inspeção portuguesa, estou sujeito na mesma aos prazos estabelecidos? tendo em conta que apresento um guia de transporte com a data de entrega, teria na mesma de obedecer aos 20 dias uteis para tratar do DAV e da inspeção?

Paulo Rocha em 22.11.2020. 16:20

Muito obrigado pela resposta. impecável o seu serviço.

FD em 22.11.2020. 16:04

@Paulo Rocha em 22.11.2020. 15:08

Pode trazer sem inspecção mas tem de vir de reboque ou camião.
Cá em Portugal terá que deslocar-se exactamente da mesma forma.

Não precisa de pedir a homologação se o carro tiver um número de homologação nacional, o que acontece quando esse modelo exacto foi comercializado em Portugal.
Se nunca foi comercializado em Portugal aí sim, precisa de uma homologação individual (165€).

Paulo Rocha em 22.11.2020. 15:08

Boa tarde,antes de mais parabens pelo site . tem sido de grande utilidade publica. obrigado. Estou a pensar comprar um carro na alemanha de 1993. ja entrei em contacto com o vendedor, mas fiquei com algumas duvidas que agradecia se me pudesse escarecer.

1-o carro como esta neste momento nao passa na inspeccao alemanha, posso traze lo na mesma por uma transportadora ou preciso mesmo do HU ou TUV deles para depois o poder legalizar ca?
2- O carro sendo anterior a 1996 nao tem o COC, nesse caso tenho de pedir a homologação em Portugal junto do IMT?

FD em 13.11.2020. 10:17

@Daniel Baptista em 12.11.2020. 17:00

A taxa aplicável é aquela que estiver em vigor na data de apresentação (entrega/submissão) da DAV.
O prazo para apresentar a DAV é de 20 dias úteis após entrada em Portugal.

Exemplos:
Apresenta a DAV em 31 de Dezembro de 2020, paga as taxas de 2020.
Apresenta a DAV em 1 de Janeiro de 2021, paga as taxas de 2021.

Atenção que podem haver excepções a estes casos (o orçamento pode-se atrasar, as taxas podem entrar em vigor noutro dia, etc.). Este ano, por causa das últimas eleições, as taxas para 2020 só entraram em vigor em Abril, até esse mês as taxas aplicadas foram as de 2019.

Daniel Baptista em 12.11.2020. 17:00

Boa tarde,
Antes de mais parabéns pelo excelente site, verdadeiro serviço público!
A minha questão é a seguinte: comprando uma viatura num país da UE em 2020, se realizar o processo de legalização em Portugal em 2021, a taxa de ISV a aplicar será a de acordo com as tabelas de 2020 ou as de 2021?
Obrigado!

FD em 03.11.2020. 16:49

@Manuel em 03.11.2020. 16:21

Na Alemanha, o COC é de entrega obrigatória desde há alguns anos (2015) aquando da venda do carro em novo.
Assim, carros relativamente recentes devem incluir o COC, a não ser que se tenha perdido, só nesses casos é que pode ter um custo para o vendedor.

Em relação ao restante, não tenho muito mais a acrescentar ao que escreveu, cada um deverá fazer as perguntas que julga serem necessárias - as que eu acho que se deve fazer já estão quase todas no texto. :)

Manuel em 03.11.2020. 16:21

Muito obrigado.

Imagino que solicitar logo o COC possa ser problemático, já que tenho ideia de haver um custo se o vendedor não o tiver.

As perguntas que já tinha em mente são:
1. Se o carro é original da Alemanha ou importado;
2. Se o carro já teve acidentes e se já sofreu alguma reparação;
3. Se o carro ainda tem garantia de fábrica (validade e kms) ou se o vendedor fornece alguma (caso seja concessionário oficial - neste caso Audi :plus);

A documentação que já tinha em mente solicitar:
1. Teil I e Teil II

Além do COC, acha que faz falta perguntar/solicitar algo mais?

Obrigado.


@FD em 03.11.2020. 15:57

O COC é o mais importante.
Deve pedir também o livrete.

As perguntas dependem mais do carro, sem saber qual é, é difícil adiantar muito além do que está no texto.

Se quiser, indique-me o anúncio e eu digo-lhe que perguntas fazer concretamente.

FD em 03.11.2020. 15:57

@Manuel em 03.11.2020. 15:25

O COC é o mais importante.
Deve pedir também o livrete.

As perguntas dependem mais do carro, sem saber qual é, é difícil adiantar muito além do que está no texto.

Se quiser, indique-me o anúncio e eu digo-lhe que perguntas fazer concretamente.

Manuel em 03.11.2020. 15:25

Viva!

Estou na fase de seleccionar um carro para importar da Alemanha.

Num primeiro contacto telefónico com o vendedor, e afim de obter informação mais fidedigna do carro, que perguntas recomenda que faça e que documentação recomenda que solicite ao vendedor para me enviar posteriormente por email?

Muito obrigado e parabéns pelo website.

FD em 31.10.2020. 15:06

@Luis Barbosa em 30.10.2020. 22:14

1. Por princípio, não faço recomendações.
2. É indiferente, o ideal será no final do serviço.
3. Deve pedir ou perguntar se está incluído.
4. Pode confiar mas é sempre uma garantia adicional, se fosse possível, eu pediria.

Luis Barbosa em 30.10.2020. 22:14

Boa noite, estava a pensar em contratar uma transportadora para me trazer o carro da Alemanha devido a esta situção do Covid.

Vou comprar um BMW 320d com 150.000k num stand oficial BMW em Munique. Como não vou ver ou inspecionar o carro queria fazer-lhe algumas perguntas.

1. Existe alguma(s) empresa(s) que você recomende pedir orçamento(s) de transporte?
2. Faço o pagamento à transportadora antes ou depois da entrega do carro?
3. Tenho de pedir o COC ao stand ou eles normalmente enviam com toda a restante documentação do carro?
4. Como não vou ver o carro, acha que deveria pedir um relatório da Dekra\Adac ou por norma, posso confiar num stand oficial da marca?

Obrigado pelo seu tempo.

FD em 22.10.2020. 11:01

@Jóni em 21.10.2020. 22:01

As versões e os equipamentos são sempre diferentes de país para país.
Até de Portugal para Espanha existem diferenças consideráveis, por exemplo, na Renault, uma versão Zen ou Intens tem um equipamento completamente diferente entre Portugal e Espanha - apenas partilham a designação.

Pode usar o mobile.de ou o AutoScout24, aquele que gostar mais, normalmente cobrem 90-100% do mercado.
Para encontrar estes carros de serviço/teste basta pesquisar por carros recentes, menos de 1-2 anos de idade, e com menos de 10.000km. Às vezes até os vê com os autocolantes exteriores de publicidade da concessão.
Sempre que sejam vendidos por um concessionário oficial, são carros de serviço/test-drive.

O COC é emitido à saída da fábrica e é exclusivo para cada unidade, ou seja: um VIN = um COC.
Em alguns países é de entrega obrigatória ao comprador (caso da Alemanha), noutros fica com o importador ou "perde-se" algures pelo caminho entre a fábrica e o comprador final.
As variações devem-se a características que alteram o consumo de combustível, e por conseguinte as emissões de CO2.
Habitualmente estamos a falar de rodas (tamanho pneus/jantes), kits estéticos (como o R-Line), tracções às quatro rodas, caixas manuais/automáticas, apêndices aerodinâmicos (barras de tejadilho, tectos de abrir) entre outras coisas menores.

Se pedir o COC em Portugal, o importador apenas irá servir de intermediário entre si e a fábrica - excepto se o carro era destinado a Portugal, nesse caso o COC já deverá estar em Portugal, o que no caso de uma importação não se aplica.

Jóni em 21.10.2020. 22:01

Boa noite,

Agora percebo muitas das dúvidas que tenho. Muitos vezes dou por mim a questionar se as caracteristicas do carro estão correctas no mobile.de (só tenho usado esta plataforma) e como são coisas tão básicas (como AC manual) chego a ficar com a ideia que foi um erro a introduzir dados x'D. Também já me tinha apercebido que os modelos tem diferentes equipamentos e motorizações dependo do pais, pensava que isto era transversal....

Sobre os carros de teste dos concessionários, alguma dica para os encontrar na mobile.de? Não sei se deveria usar outra plataforma, mas parece-me que esta acabar por ter todos os veículos.

Em relação ao COC, isto é gerado para o modelo e variante ou cada vaículo tem de fazer a sua certeficação? A mesma pergunta para o nível de CO2 porque reparo que carros muito identicos têm valores ligeiramente diferentes, o que me leva a desconfiar que cada carros depois de produzido tem de ser testado correcto?
Resumindo, inicialmente a minha ideia era pedir essa informação num concessionário em portugal mas depois percebi que este presuposto pode não ser válido certo?

Obrigado por tudo mais uma vez ;)

FD em 21.10.2020. 10:15

@Jóni em 20.10.2020. 23:24

Não querendo por em questão o que ouviu dizer, em Portugal quase só compramos carros novos com muito/bastante equipamento, o que não acontece na Alemanha, onde versões base têm bons números de vendas.
Enquanto na Alemanha, por exemplo, ainda encontra muitas versões à venda sem jantes de liga leve, em Portugal isso é quase impossível, a não ser em modelos de entrada de gama (Fiat Panda, Dacia Sandero, etc.).
Experimente por exemplo procurar por Mercedes ou BMW com tampões cá em Portugal e na Alemanha.
Encontra BMW Serie 3 ou Mercedes C com tampões na Alemanha e não os encontra em Portugal.

Devido a esta preferência dos portugueses, os importadores nacionais quase que eliminaram de todas as gamas as versões com equipamento base.

Na verdade, os alemães são muito mais frugais em relação aos carros que os portugueses, daí que algumas marcas que vendem muito bem lá, não vendem cá (Skoda é a 6ª/7ª marca mais vendida).
Regra geral, haverá excepções, a maioria dos carros bem equipados na Alemanha são provenientes de retomas de particulares e não de frotas; por isso mesmo, essas retomas de particulares representam uma percentagem mais baixa no parque de usados, fazendo com que a oferta seja inferior à do parque de frotas, que são no essencial carros de trabalho logo, sem necessidade/justificação de equipamento mais requintado (estofos em pele, equipamento de assistência à condução, acabamentos interiores, kits estéticos, etc.).

É importante não esquecer que todas estas considerações são gerais - há e sempre haverá excepções e casos especiais. Por exemplo, carros de teste de concessionário são, tanto quanto analisei até hoje, muito bons negócios.
O princípio é:
- modelo é lançado em Março
- a partir de 6 meses a 12 meses depois de Março, o concessionário coloca esse carro à venda
- a partir do 3.º a 6.º mês em que está à venda o preço baixa significativamente
Isto acontece porque os fabricantes dão sempre um "bónus" ou fazem um desconto em unidades de showroom e de lançamento para incentivar os concessionários a terem carros em stock para experimentar. Esses bónus ou descontos são renovados de x em x meses e como tal, o concessionário tem interesse em fazer rotação dessas unidades. Por vezes consegue-se comprar carros quase novos com descontos muito consideráveis.

Quanto aos filtros de partículas, se um carro o tiver as hipóteses de cumprir o limite para não pagar a taxa são elevadas mas, não é completamente infalível.
Só sabe se cumpre ou não o limite consultando o COC.

Jóni em 20.10.2020. 23:24

Boa noite,

Certo. Mas se optarmos por um carro mais equipado e/ou menos km é normal que o preço seja menos atrativo (existirá sempre negócios mais baratos na origem) tal como seria em Portugal quando encontramos um modelo com menos unidades à venda. Ou seja, o carro vem mais valorizado.

Esta minha questão surge porque sempre ouvi dizer que uma das vantagens de importar um carro é que vem muito melhor equipado comparando com os nacionais.

Já agora, optando por um modelo a Diesel, existe forma de saber se as particulas são acima dos 0.001g/km? Alguma palavra que deva procurar nos anuncios antes de confirmar com o vendedor? Basta ter filtro de particulas?

Obrigado mais uma vez ;)

FD em 20.10.2020. 10:02

@Jóni em 19.10.2020. 22:54

Não é desvalorização da importação mas sim a própria desvalorização dos carros com esse perfil na Alemanha.

Normalmente são carros de empresa, comprados em grandes quantidades através de leasing/renting, com diversas deduções fiscais que, devido a isso e ao elevado número de unidades (muita oferta), desvalorizam bastante.

Jóni em 19.10.2020. 22:54

Olá,

Já agora porque recomenda carros a rondar os 100k km e modelos base nos diesel? Tem a ver com a desvalorização do custo de importação pelo factor de desagravamento da idade e pela oferta ser muito grande nos modelos base?

Aproveito para colocar o url de uma noticia sobre as alterações do OE 2021 publicado no razaoautomovel.com

Obrigado!

FD em 19.10.2020. 10:55

@Bruno Oliveira em 18.10.2020. 23:37

Não conheço nada que pudesse melhorar o processo uma vez que as principais dificuldades são burocráticas, o que envolve lidar e alterar legislação, coisa que me parece estar fora do alcance de qualquer iniciativa privada.

Bruno Oliveira em 18.10.2020. 23:37

Excelente site! Obrigado pela iniciativa, disponibilidade e esforço para o manter.

Estou a viver em Berlim, falo Alemão e sou developer de software. Gostaria de criar uma start-up que possa ajudar as pessoas our empresas que se dedicam a trazer carros da Alemanha. Percebi por este seu artigo e pelos comentários que o processo de compra de carro no estrangeiro exige muitas horas de pesquisa, tem muitas variáveis, muitas entidades envolvidas, etc.

Gostaria de lhe perguntar se há, na sua opinião alguma coisa que pudesse ser desenvolvida (mesmo que utópica) para, por exemplo, poupar tempo, acrescentar segurança, diminuir custos, melhorar a experiencia do comprador (particular ou empresas de importação), etc? No fundo, de que é que as pessoas mais se queixam?

Bem sei que é uma pergunta muito aberta mas se por exemplo tiver alguns exemplos de start-ups que conheça de outros países que tenham tido uma ideia interessante, pedia-lhe que partilhasse comigo e com os seus leitores.


Muito obrigado e continue o excelente trabalho que tem vindo a fazer.

Bruno Oliveira

FD em 16.10.2020. 10:05

@Joni em 15.10.2020. 14:41

Em relação aos Volvo, experimente os mercados da Bélgica e da Holanda, por vezes apresentam melhores preços.
Veja aqui: procurar carros usados na Europa - plataformas de anúncios.

Regra geral, não existe mercado em Portugal para SUV a gasolina.
A partir do momento em que consomem cerca de 9~10l em cidade, afastam imediatamente o típico comprador.
A excepção acontece em zonas onde não há "cidade", isto é, trânsito pára-arranca, ou em pessoas com perfil de utilização ocasional, aí é possível encontrar compradores mas, pelas características do mercado, são em menor quantidade e, de forma generalizada, com menos disponibilidade financeira (tanto por não poderem como por não quererem), ou seja, é mais difícil vender por um bom preço.

Por outro lado, se conseguir reflectir a poupança na importação no preço de venda em Portugal, de forma a ficar mais barato que o equivalente diesel, exactamente pela questão da falta de oferta, deve conseguir logo vender.

Aqui entre nós, faça um teste simples: coloque um anúncio no OLX da unidade que está a pensar comprar. Veja as reacções e os contactos e percebe logo se há mercado ou não. É um truque pouco "ético" mas, é uma forma de perceber o mercado.

Joni em 15.10.2020. 19:17

Não está fácil, algum caracter está a quebrar o texto...

Vou tentar recriar o que falta porque entretanto perdi o texto...


Então porque um carro a gasolina?
- o preço dos Tiguans 1.4/1.5 FSI são muito atrativos e têm muito poucos km (< 50k km)
- O valor do ISV é muito baixo
- já tenho um a gasóleo (Golf V 1.9 TDI) onde faço em média 15K km ano
- A esposa tinha um seat a gasóleo mas em média não fazia mais de 10k km ano
- Tenho receio dos novos disel por causa da manutenção e dos famosos filtros de particulas. Os carros a gasoleo que tive até agora são antigos (antes de 2005) e a manutenção era acessível (cercade 150€)

O que me está a travar então?
- Não penso comprar para vender, mas como o meu carro é antigo posso ser obrigado a trocar o Tiguan porque aí podera fazer sentido manter um a gasoleo e o Tiguan é um carro caro para segundo carro.
- Não existem estes modelos a gasolina à venda em portugal, ou são muito raros. É sinal que não se vende e, portanto, não têm mercad? ou que quando aparecem são logo comprados?
- A barreira psicológica de comprar um motor de baixa celindrada. Confesso que tenho um preconceito quanto a estes motores porque gosto de motoros mais robustos com menos CV. Transmitem-me mais confiança para fazerem meio milhão de km ou mais... Mas pode ser simplesmente uma mania minha

Espero que desta vez consiga colocar o texto todo.

Muito obrigado pela paciência ;)

Joni em 15.10.2020. 14:41

Olá,

Obrigado pelas dicas mais uma vez.

Não tinha essa percepção da valorização da VW na Alemanha.

A minha ideia é comprar um VW Tiguan (r-line de preferência) - requisito da esposa. A outra alternativa é o Volvo XC 40, mas deve compensar ainda menos.

Então porque um carro a gasolina?
- o preço dos Tiguans 1.4/1.5 FSI são muito atrativos e têm muito poucos km (< 50k km)
- O valor do ISV é muito baixo
- já tenho um a gasóleo (Golf V 1.9 TDI) onde faço em média 15K km ano
- A esposa tinha um seat a gasóleo mas em média não fazia mais de 10k km ano
- Tenho receio dos novos disel por causa da manutenção. Os carros a gasoleo que tive até agora são antigos (

FD em 15.10.2020. 12:29

@Joni em 14.10.2020. 23:42

1. A diferença de preços dos VW para as ditas marcas "premium" (Audi, BMW, Mercedes) é menor na Alemanha do que em Portugal.
Ou seja, um VW é mais valorizado na Alemanha que em Portugal, logo, torna-se menos compensador importar.
Exemplo: na Alemanha compra quase pelo mesmo preço um VW Passat e um BMW série 3. No entanto, em Portugal, vende muito melhor (mais depressa e mais caro) um BMW do que um Passat.

2. A questão do gasóleo/gasolina depende essencialmente de três factos:

- vai fazer muitos quilómetros? Sim, gasóleo; não, gasolina.

- quanto tempo pensa em ficar com o carro? Pouco ou algum tempo (1-10 anos), gasóleo; muito tempo (+10 anos), gasolina. Deve adequar também esta resposta ao tipo de carro em questão, por exemplo, pode ser difícil vender um carro grande (SUV/jipe) a gasolina (por causa dos consumos), ao contrário de um carro pequeno (que consome menos gasolina).

- vai fazer uma utilização maioritariamente de cidade (trânsito pára-arranca) ou estrada? Cidade, gasolina (mais por causa de eventuais futuras restrições na circulação a veículos a gasóleo em algumas grandes cidades); estrada ou misto, é mais ou menos indiferente. Como disse no ponto anterior, há também que adaptar o veículo à utilização, se escolher um SUV grande (BMW X5 por exemplo) para circular na cidade, vai ter uma grande dificuldade para vender (se e quando acontecer).

Considere estes factos e consoante a utilização que der ao carro e o tempo que pretende ficar com ele, já terá uma melhor ideia do que deve escolher.
Tenha também em ideia que qualquer automóvel a gasolina de baixa cilindrada pagará pouquíssimo ISV (menos de 500€).

Joni em 14.10.2020. 23:42

Olá,

Desde já quero agradecer pelo esforço e dedicação na manutenção deste portal.

Tenho duas questões:

1. Existe alguma razão para não considerar veículos da volkswagen como potencias bons negócios, na sua generalidade, uma vez que é o maior fabricante de carros alemães?

2. Fiquei confuso quanto aos carros ideias para importar. Inicialmente fala em carros a gasoleo com cerca de 4 a 5 anos e 100K km. Tenho feito várias simulações, inclusive no portal das finanças, e fico com a ideia que os carros a gasóleo pagam um ISV muito elevado chegando facilmente a valores de 4k€ para TDI 2.0 com 120 co2... Já os motores a gasolina conseguem valores muito mais atrativos - abaixo de 2k€ para 1.5 FSI 140 co2. Sei que o preço da gasolina é superior e que tipicamente os Portugueses preferem motorizåções a gasóleo. Mas a verdade é que com as alterações climáticas os motores a gasóleo só faram sentido para quem fizer mesmo muitos kms anualmente, até porque a manutenção é bastante mais cara com a inclusão dos famosos filtros de particulas (em alguns casos já existem veículos que vêm equipados com dois filtros para deruzir o co2). Resumindo, será que com a introdução da certeficação WLTP e as novas legislações que pretendem reduzir o disel não se está a inverter a tendência para apostar mais em motorizações a gasolina podendo comprar veículos com menos km e menos anos (ex: 2 a 3 anos abaixo de 50k km)?

Obrigado mais uma vez pela atenção :)

FD em 30.09.2020. 10:59

@Marco Costa em 30.09.2020. 10:12

O valor de CO2 utilizado para calcular os impostos é sempre o que vem no COC.

Só se não houver COC ou informação oficial é que o CO2 medido no centro de inspecções é utilizado para calcular os impostos.

Marco Costa em 30.09.2020. 10:12

Bom dia,

Antes de mais muito obrigado pelo serviço aqui prestado.
Estou neste momento a meio do processo de importação de um carro, actualmente a aguardar que o stand o prepare para me ser entregue.

Dificilmente me teria metido nesta "aventura" nao fosse este seu guia, as coisas ficam mais fáceis quando temos tudo explicado "tim tim por tim tim".


Tenho aqui uma questao em relaçao ao valor do co2 usado para o calculo do ISV. (e peço desculpa se isto esta clarificado no texto):

O valor usado, é aquele que vem no Certificado de Conformidade, ou é o que for medido na inspecção tipo B que terei que fazer cá ?


desde ja, obrigado pela atenção.

FD em 22.09.2020. 10:16

@Miguel em 22.09.2020. 02:00

Se vem a conduzir, precisa na mesma de todos os documentos na origem: livrete + título de registo de propriedade + declaração de venda + matrícula de exportação + seguro.

Em Portugal, leia por favor: importar um carro para peças ou para não circular.

Miguel em 22.09.2020. 02:00

Boas,

Desde já agradeço este belo tutorial, mas como estou numa situação um bocado diferente fiquei com algumas questões.
Tenciono trazer (a andar) para portugal um Citroen C5 com 16 ou 17 anos mas não o vou legalizar, é para ter peças de reserva para o meu em Portugal.
Neste caso a nivel de burocracias quais são as diferenças para um negócio normal? Que documentos da lista já não vou precisar tendo em conta que não o vou legalizar cá?

Obrigado
Cumprimentos

FD em 18.09.2020. 11:59

@António Ferreira em 18.09.2020. 08:52

Tanto quanto sei, a figura de "reserva de propriedade" não existe na Alemanha.

Os documentos alemães, como diz no texto, são dois, exactamente como acontecia antes do DUA em Portugal: o documento do carro (com as características) - Zulassungsbescheinigung TeiI I (livrete); e o documento da propriedade (com os dados do proprietário) - Zulassungsbescheinigung TeiI II (título de registo de propriedade).

O nome constante do título do registo de propriedade deverá coincidir com o nome do vendedor.
Se não coincidir, não compre.

Se o carro tiver um crédito associado, esse título de registo de propriedade deverá estar em nome do banco ou, o vendedor não o terá na sua posse (estará na posse do banco).

Ou seja, não existe a possibilidade de acontecer o que descreve desde que tenha estes cuidados.
De qualquer forma, o ideal é sempre fazer a "transferência de propriedade" na Alemanha, o que na prática não acontece, o que acontece é um processo de exportação, deixando o carro de existir em qualquer registo de propriedade automóvel alemã.

António Ferreira em 18.09.2020. 08:52

Bom dia. Comprando a um particular qual é a garantia que tenho de que não existe nenhum crédito por pagar referente ao carro e que depois impeça a mudança de proprietário em Portugal ?
Obrigado

FD em 15.09.2020. 19:37

@Nuno Amaral em 15.09.2020. 02:50

Tanto podem estar num método como no outro, tem de perguntar ao vendedor.

Como não é prático perguntar a todos os vendedores, faça assim:
- veja as emissões do mesmo modelo/motor até 2017
- compare com as emissões do modelo de 2018-2020
- se o CO2 do modelo 2018-2020 for significativamente superior (>15%), é WLTP
- se o CO2 do modelo 2018-2020 for muito parecido (<10%), é NEDC

Não tome quaisquer decisões sem ter acesso à documentação do carro.

Nuno Amaral em 15.09.2020. 02:50

Parabéns pela magnifica explicação!! Melhor, seria impossivel!! No entanto gostaria q me esclarecesse uma duvida se possivel....é sobre o método de avaliação da emissão de CO2. Até 2019 creio, era usado o método NEDC...e agora é usado o WLTP. A minha duvida é se os valores de CO2 q aparecem nas viaturas publicitadas no www.mobile.de estão em NEDC ou WLTP.... é q faz uma enorme diferença no imposto a pagar no simulador das finanças portuguesas. Muito obrigado.

FD em 25.08.2020. 10:16

@miguel em 24.08.2020. 19:43

Está explicado no texto, paga sempre o Brutto.

miguel em 24.08.2020. 19:43

no site mobile .de, emcada carro aparecem dois valores, liquido e bruto. Qual é o valor que tenho de pagar pelo carro

FD em 19.08.2020. 17:43

@Davide em 19.08.2020. 15:57

Não precisa mas em Portugal terá de contratar um reboque para levar o carro à inspecção - não pode circular sem matrícula.

Davide em 19.08.2020. 15:57

Boa tarde. Antes de mais agradeço a informação disponibilizada e trabalho que teve para tal.

Tenho uma questão sobre trazer o veiculo para Portugal numa transportadora. Se for neste caso também preciso fazer seguro e pedir as matriculas (vermelhas) alemãs?

Obrigado!

FD em 26.07.2020. 14:50

@Valter Matos em 26.07.2020. 14:18

Experimente o simulador da AT: https://aduaneiro.portaldasfinancas.gov.pt/jsp/main.jsp?body=/external/sfaisv/

Valter Matos em 26.07.2020. 14:18

Boa tarde, verifiquei que com a actualização do simulador não dá para fazer simulação para carros importados para empresa de Taxis.
Têm outro mêtodo para ver?
obrigado

FD em 01.07.2020. 14:34

@JLM em 01.07.2020. 14:13

Em princípio, não vai pagar o IVA na Alemanha.
O que lhe devem estar a pedir é uma caução no valor do IVA alemão, que lhe será devolvida assim que mostre provas em como o carro foi registado em Portugal.
Se está a comprar num concessionário oficial Mercedes, não deve ficar desconfiado, desde que esse pagamento esteja devidamente documentado (recibo, menção no contrato de venda, etc.)

De qualquer forma, mesmo que pague o IVA na Alemanha, pode e deve pagar o IVA "português", de forma a poder usufruir dos benefícios fiscais para empresas na aquisição de viaturas plug-in (dedução do IVA).
Claro que tem que ter liquidez para poder fazer isto (pagar dois IVAs).

Apesar de poder deduzir o IVA, este tem que ser pago em Portugal aquando da legalização, a não ser que a empresa esteja dispensada desse pagamento (que se aplica a alguns CAE como por exemplo comércio e retalho automóvel).
Irá depois reaver esse IVA da mesma forma que o faz com qualquer outro bem essencial para o funcionamento da empresa (na conta IVA recebido menos IVA pago).

Deve, contudo, consultar o contabilista da empresa e expor a questão para que tudo seja feito como deve ser.

JLM em 01.07.2020. 14:13

Boa tarde,

Parabéns pelo trabalho que tem realizado.

Estou a tentar comprar um carro na Mercedes de Estugarda, Alemanha. A viatura é para ser registada em nome da empresa. O vendedor está a pedir o pagamento do iva e diz que devolve quando a viatura estiver em Portugal.

Esta questão do iva preocupa-me na medida em que pode fazer com que o negócio perca o interesse. No processo de legalização em Portugal vou ter de pagar o iva a 23 sobre o valor do carro mesmo que sem o iva da Alemanha?
A viatura é plug-in.

Obriga

Cumprimentos,

João

Paulo em 28.06.2020. 23:42

Olá, é de facto meritório de um reconhecimento o trabalho aqui desenvolvido.

FD em 28.06.2020. 16:46

@Pedro Henriques em 28.06.2020. 11:58

A segurança depende de como fez as coisas.
Se foi para um concessionário oficial Porsche (listado no sítio oficial da Porsche Alemanha), se a troca de correspondência confere com os endereços e telefones oficiais, eu não me preocuparia.

Quanto ao transporte, depende de quem contrata: peça para ver a cobertura da apólice, telefone para a seguradora e confirme todos os dados. Se for uma empresa "antiga" o risco é mínimo, se for uma empresa recente ou um individual, tenha cuidados redobrados.
O essencial é o seguro e a idoneidade dos seus gestores/gerentes.

Pedro Henriques em 28.06.2020. 11:58

Bom dia, vou comprar um Porsche Cayman num concessionário Porsche na Alemanha, já assinei o contrato e dentro de 2 dias será altura de fazer a transferência do valor. É seguro fazer desta forma? Quanto ao transporte vou seguir as vossas recomendações antes de contratar a transportadora, mas é um processo seguro, não existe o risco do carro desaparecer? E havendo um acidente o seguro cobre mesmo o valor pago pelo carro? Obrigado

Pedro Costa em 24.06.2020. 09:11

@FD em 23.06.2020. 14:55

Bom dia,

Muito obrigado pela sua resposta. Vou seguir o seu conselho e pedir o relatório ou selo DEKRA/ADAC/TÜV.

Melhores cumprimentos,

Pedro Costa

FD em 23.06.2020. 14:55

@Pedro Costa em 23.06.2020. 12:26

Tanto quanto sei, são confiáveis.
No entanto, como é natural, uma vez cá o carro, quaisquer pormenores que possam necessitar de algum tratamento, deixam de poder ser reclamados.
Problemas podem sempre existir numa compra à distância - imagine por exemplo que a unidade que escolheu era de um fumador ou de alguém que transportava animais de estimação com frequência. O odor que o carro tenha no interior torna-se um problema que já não conseguirá solucionar a não ser que vá ver (e cheirar) o carro em pessoa.

Se quer ficar completamente descansado, pergunte se é possível obter um relatório ou selo DEKRA/ADAC/TÜV para a unidade que pretende. Este relatório dá-lhe informação completa do estado do carro e de quaisquer problemas que possa ter (desgaste, amolgadelas, conformidade técnica e mecânica, etc.).
Tem um custo mas pode ficar mais descansado (pergunte se é possível e quanto custa).

Para transporte por camião, apenas precisa da guia CMR, factura, declaração de venda e documentação do carro, nada mais.
Não precisa de matrícula de exportação nem de seguro.

Tenha no entanto em atenção que neste caso terá que levar o carro à inspecção (em Portugal) de reboque - o que também tem um custo - e que o mesmo não poderá ficar à espera da matrícula na via pública (tem que ficar numa garagem ou num terreno privado).

Pedro Costa em 23.06.2020. 12:26

FD em 18.06.2020. 11:50

Boa tarde,

Muito obrigado pela informação. Estou também a pensar na possibilidade de o mandar vir por transportadora.

Pela sua experiência, o que acha do https://www.dbautohaus.de ? São confiáveis? Ou aconselha seriamente a ir ver a viatura antes de a comprar? Conhece algum caso que tenha tido problemas?

Permita-me, por favor, mais uma pergunta (e penso que já respondeu, contudo ainda tenho uma dúvida):

Se optar por usufruir de uma transportadora, que documentos deverei obter (para além do registo de propriedade) ?

Ou seja, não deverei ter que tratar de matricula nem IMT pois vem por transportadora, correcto?

Muito obrigado pela ajuda,

Pedro costa

FD em 18.06.2020. 11:50

@Pedro Costa em 18.06.2020. 11:17

Imagine um alemão e um português a quererem registar um carro em Portugal.
Para o português já existem dificuldades, para o alemão existe apenas a mais o obstáculo da língua.
Com menor ou maior dificuldade, a coisa faz-se.
Na Alemanha, é igual. :)

Com uma aplicação de tradução instantânea (mesmo que não seja instantânea), conforme indicado no texto, esse obstáculo fica muito menor.
Treine o discurso (o que tem que perguntar, o que tem que pedir, o que tem de procurar) antes de ir e tenha algumas frases prontas escritas em alemão - o processo no IMT "alemão" é o que está indicado no texto, por aí não deverá ter dificuldades.

Em alternativa, use um dos serviços online de matrículas de exportação, pesquise na internet por "licence plate export online germany".
Tenha é em atenção que esses serviços às vezes são mais morosos e complicados do que simplesmente fazer as coisas localmente - tem que pedir a documentação ao vendedor, tem que a enviar para esses serviços, esses serviços têm que entregar as placas no local do vendedor na data certa em que vai levantar o carro, se alguma coisa aqui pelo meio corre mal, arrisca-se a ter que lá ficar mais um dia, etc.

Pedro Costa em 18.06.2020. 11:17

Bom dia a todos,

Excelente artigo providenciando toda a informação necessária.

Contudo, preciso da vossa ajuda para o seguinte:

Estou interessado numa viatura MB C220 de 2018. Já contactei o stand (DB Autohaus Bad Salzuflen) e, infelizmente, o inglês do vendedor não é o melhor, pelo que estou a falar com por email.

Pedi ajuda para a matricula e seguro da viatura, contudo, parece querer descartar essa responsabilidade.

A minha pergunta é: Já alguém tratou deste processo e não fale alemão? Ou seja, tratar da matricula. seguro, a deslocação ao IMT alemão?

Muito obrigado pela informação

Cumprimentos

FD em 12.05.2020. 14:48

@JMM em 12.05.2020. 13:49

O transporte costuma ser responsabilidade do comprador.

Alguns comerciantes facilitam e podem tratar da entrega mas, o custo pode ser bem superior - os salários alemães, dos motoristas alemães, são bem diferentes dos portugueses, além de que a logística pode ser mais complicada - é importante escolher alguém que faça rotas habituais para obter melhores preços.

Deverá contactar um transportador especializado português e pedir um orçamento, aliás, deve pedir pelo menos 3 orçamentos a transportadores diferentes para poder comparar propostas.
Tenha no entanto o cuidado de pedir orçamentos exactamente para o mesmo serviço, para que os possa comparar correctamente - tempo de transporte, condições do transporte (vêm quantos carros, em que tipo de camião, etc.), coberturas e franquias do seguro, disponibilidade para o transporte (podem fazer o transporte imediatamente, num prazo de x dias ou x semanas), para entrega e recolha (à porta, em armazém, horários, dias da semana ou do mês, fins de semana), etc.
Preste também atenção aos cuidados que o transportador diz ter com os carros (capas nos bancos/volante, riscos, cheiros, etc.), veja se há um relatório do estado do veículo na recolha e outro na entrega, etc.

Os documentos acompanham sempre o carro.
Deverá receber também uma guia CMR, com datas de recolha e entrega, entre outras informações, para entregar no processo de legalização.

Aproveitei e actualizei o texto com estas informações.

JMM em 12.05.2020. 13:49

Boa tarde,
estou a pensar em comprar carro pelo mobile.de. Já escolhi o modelo em questão e enviei email ao concessionário da marca que está a vender, aguardando resposta.

Por motivos profissionais é impossível ir buscar o carro, tendo de mandar vir o carro por transportadora. Geralmente contratam esse transporte a quem? Ao concessionário, a uma empresa alemã, empresa portuguesa? Os documentos acompanham o carro ou são mandados por correio?

Estou com algum receio de me meter nalguma embrulhada.

FD em 09.05.2020. 16:24

@Antonio Antunes em 09.05.2020. 14:07

Se vier com matrícula de exportação, esses documentos virão em seu nome.
Se vier com matrícula definitiva alemã (não aconselhável pelos motivos indicados no texto), esses documentos virão em nome do anterior proprietário.

Passa-se mais ou menos como em Portugal - assim que compra um usado, enquanto não chega o DUA actualizado, circula sempre com a documentação em nome do antigo proprietário, com a excepção de que neste caso não irá existir DUA alemão actualizado pois as matrículas irão ser canceladas.
Convém claro ter sempre a declaração de venda para legitimar a posse do veículo.

Quanto às fotos, depende sempre do vendedor. Já deve ter reparado que, por exemplo, os concessionários oficiais BMW e Mercedes muitas vezes nem colocam fotos mas sim representações 3D dos carros, obtidas pelos configuradores da marca.

O que também acontece muitas vezes é que o vendedor comprou muitas unidades da mesma configuração e como tal, parece sempre o mesmo carro apesar de não ser.

Dito isto, regra geral, as fotos são fiáveis.
Sempre que forem fotos que não pertencem ao carro aparecerá uma menção na foto a dizer qualquer coisa como "bild", "bilder" ou "beispielbild".

<< Primeira < Anterior [1 / 2] Seguinte > Última >>

Escrever um comentário ou colocar uma dúvida

POR FAVOR leia a página toda antes de fazer perguntas que já estão respondidas no texto principal! Obrigado.

:

:

:


Em que ano é que estamos?

Por uma questão de rapidez na resposta e de poupança de espaço, considere que as minhas respostas incluem sempre os normais cumprimentos. :)

Acerca do impostosobreveiculos.info | Contacto

Todas as informações pretendem ser de leitura clara, simples e acessível, com o objectivo de constituirem um primeiro acesso à informação pretendida.
Por essa razão, poderão não ser totalmente completas ou tecnicamente exactas. No entanto, são dadas de boa fé e com base fundamentada na legislação em vigor.
Devido ao contexto e unicidade de cada caso, sempre que necessário, todas as informações deverão ser validadas por escrito junto da entidade oficial responsável.

Todos os direitos reservados - é permitida a cópia ou reutilização de partes deste sítio desde que seja atribuída a sua origem e autoria.
Política de Privacidade e de Tratamento de Dados Pessoais