Como conhecer as emissões CO2 de um automóvel

Nesta página: explico como descobrir as emissões CO2 de um automóvel.

Para quê saber as emissões?

Em Portugal, saber as emissões de CO2 de automóveis é importante e necessário por duas razões:

Modelos a partir de 1996 ou com informação oficial disponível

As duas únicas formas fiáveis e exactas de saber as emissões de CO2 de um carro são:

Se não tiver acesso à documentação acima descrita, há formas de saber aproximadamente quais as emissões de um determinado automóvel:

Reuni alguns destes dados nesta página: tabela emissões CO2 dos motores mais comuns.
A base de dados nacional: informação sobre consumo de combustível e emissão de CO2.
A base de dados alemã: Leitfaden CO2.

Tenha em atenção que estas últimas formas de encontrar as emissões de CO2 apenas lhe darão um valor aproximado, que não é válido para calcular os impostos, apenas serve para que possa ter uma ideia de quanto pagaria de ISV ou de IUC. Os únicos valores válidos e considerados pela Autoridade Tributária são os da documentação oficial do automóvel, descritos anteriormente.

Modelos anteriores a 1996 ou sem informação oficial disponível

Quando não há informação oficial sobre as emissões de CO2, normalmente é o caso dos modelos anteriores a 1996 (poderá haver excepções), as emissões de CO2 utilizadas para calcular os impostos são medidas no centro de inspecções quando vai fazer a inspecção para atribuição de matrícula.

Enquanto as emissões oficiais, isto é, homologadas, eram feitas recorrendo a um método que se mostrou um pouco desfasado da realidade (NEDC), no sentido em que os resultados são mais favoráveis (menos CO2 que o medido em utilização real), a medição no centro de inspecções é muito mais simples e directa.
Dito de forma clara, as emissões medidas na inspecção são sempre mais elevadas que seriam se medidas através do protocolo de homologação.

Isto é especialmente penalizador na importação de automóveis clássicos.

Nestes casos, antes de importar, pode tentar uma de duas coisas ou até combinar ambas e fazer uma média:

No primeiro caso, peça ao vendedor para fazer a medição das emissões de CO2 no centro de inspecções do país de origem.
Em princípio, os métodos de medição nos centros de inspecção dentro da UE são similares pelo que, é de assumir que ao fazer a medição na Alemanha ou em Portugal, os resultados serão muito semelhantes (descontando factores como temperatura ambiente, altitude, combustível utilizado, etc.).

Se tal não for possível, existe uma forma de obter uma estimativa, mesmo que pouco fidedigna.
As emissões de CO2 estão directamente relacionadas com o consumo de combustível. Ou seja, por cada litro de combustível queimado, é emitida uma quantidade certa de CO2. Esta relação depende do tipo de combustível utilizado.
Pesquise pelo consumo oficial do carro, pergunte ao vendedor para fazer uma média do consumo ou, consulte uma base de dados de consumos introduzidos pelos seus proprietários (spritmonitor.de por exemplo).
Com os dados do consumo, faça as contas.
De forma resumida, as contas são feitas assim: a relação para a gasolina é de 23,92g/km de CO2 por cada litro de gasolina consumido.
Exemplo: um carro que consuma 10 litros de gasolina aos 100km/h irá emitir 10 * 23,92 = 239,20g/km de CO2.
A relação para o gasóleo é de 26,40g/km de CO2 por litro de gasóleo consumido.
Exemplo: um carro que consuma 8 litros de gasóleo aos 100km/h irá emitir 8 * 26,40 = 211,20g/km de CO2.

Depois, coloca-se a questão da saúde do motor e periféricos.
Um carro já bastante rodado ou antigo vai ter, como é natural, folgas e desgaste nos componentes mecânicos que farão com que consuma mais combustível do que quando saiu da fábrica - isto dará origem a mais emissões de CO2 que aquelas que seriam medidas num carro novo, o que é um problema no que toca a pagar impostos.
Por esta mesma razão, é possível que dois carros iguais tenham medições diferentes consoante o estado da sua mecânica.
É importante que um carro nestas situações consuma o mínimo combustível possível - fale com um mecânico antes de levar o carro à inspecção para ver em que condições estão os componentes directamente responsáveis pelo consumo de combustível e se através da substituição, alteração ou reparação desses componentes consegue baixar o consumo de combustível para o nível normal (preste especial atenção aos dispositivos de controlo de injecção de combustível: carburadores em carros antigos, sondas e centralinas em carros recentes, etc.).

Só para sua informação, o procedimento para medir as emissões de CO2 em Portugal é o seguinte:

As medições das emissões de CO2 são efectuadas a duas velocidades distintas (50 km/h e 70 km/h), após um período de estabilização da velocidade mínimo de 5 s, com o motor à temperatura normal de funcionamento.
Cada fase terá uma duração não inferior a 10 s, sendo medida a distância percorrida d e considerado o valor da concentração de CO2, CCO2 , após estabilização em cada uma das fases.
O valor de CCO2 num ensaio corresponderá à média aritmética dos dois valores obtidos.

As emissões de CO2 são calculadas através da seguinte fórmula:
MCO2 = (V.QCO2 . CCO2 10-2) / d
MCO2 — emissão de CO2 em gramas por quilómetro do ensaio, arredondado à unidade;
V — volume de gases de escape (reduzido às condições normais);
QCO2 — densidade do CO2 à temperatura e pressão normais;
CCO2 — concentração de CO2 expressa em percentagem do volume de gases de escape;
d — distância percorrida durante o ciclo de ensaio (fase I + fase II) em quilómetros.

Devem ser realizados dois ensaios. Se a diferença entre os valores obtidos for superior a 4 %, será realizado um novo ensaio.
O valor final das emissões de CO2 resulta da média aritmética dos resultados obtidos nos três ensaios de medição realizados sequencialmente.
O valor é anotado no certificado modelo n.o 112.

Pode ler mais sobre isto nesta página: impostos (ISV/IUC) na importação para Portugal de um carro antigo (clássico).

Lembre-se: não seja conservador, nestes casos, deve contar sempre com o pior cenário possível.

A título de exemplo, o leitor Samuel comentou nesta página que importou dois carros japoneses anteriores a 2007 com 2.000cm3 que, na inspecção, tiveram medições de CO2 superiores a 400g/km.
Sem desconto de idade no CO2, estes carros pagariam só pela componente ambiental (CO2) cerca de 44.000€ de ISV.

Dúvidas, problemas ou sugestões

Se tiver uma dúvida, um problema ou quiser fazer uma sugestão, use por favor a caixa de comentários mais abaixo.
Estou sempre a melhorar esta página e gostava de contar com a sua ajuda. Obrigado.

19.04.2019. 19:16

FD em 30.07.2020. 20:24

@José Costa em 29.07.2020. 20:28

Com a transição de NEDC para WLTP aconteceram duas coisas:
- as emissões medidas subiram
- a forma de cálculo mudou de 2019 para 2020 nos veículos WLTP (em 2019 usava-se a tabela NEDC aplicando-se uma redução percentual, em 2020 existe uma tabela exclusiva para WLTP)

No seu caso podem ter acontecido ambas as situações.
O modelo vendido em 2018 era NEDC, e o seu modelo é WLTP. Em 2019 pagou um valor de IUC com base no CO2 da tabela NEDC com redução percentual e em 2020 paga outro com base na tabela própria WLTP.

Mais informações: NEDC ou WLTP?

José Costa em 29.07.2020. 20:28

@FD em 29.07.2020. 19:19

O documento IUC é respeitante a Julho de 2020. Salvo erro, o IUC respeitante a Julho de 2019 foi pago pelo concessionário no acto da compra. A viatura foi comprada nova em território nacional.

Existem discrepâncias que eu nāo entendo, relativamente ao valor das emissões de CO2 alocado ao veículo:
- Na factura da compra está descrito um valor de 142 (g/km);
- Na declaraçāo provisória de circulaçāo, antes do DUA, vem registado CO2: 123.0;
- No DUA o valor é omisso (V.7);
- No Portal das Finanças o carro aparece registado com CO2: 142;
- No documento do IUC que está a pagamento este mês, aparece CO2:121 (g/km).

Quem devo contactar para tirar isto a limpo? O concessionário, o IMT ou a AT?
Conheço quem tenha um carro igual ao meu, de 2018, e tem sido tributado todos os anos pelo valor do 1° escalāo de CO2 (60,28€). Por que me estāo a aplicar o 2° escalāo (90,33€)?

Obrigado pela atençāo.

Cumps.

FD em 29.07.2020. 19:19

@José Costa em 28.07.2020. 20:34

O documento do IUC é respeitante a este ano ou ao ano de 2019?

José Costa em 28.07.2020. 21:10

Update:

Na declaraçāo provisória, anterior ao DUA final, vem registado CO2: 123.0

José Costa em 28.07.2020. 20:34

Boa Noite!

Como saber o valor de emissões CO2 (g/km) da minha viatura comprada e matriculada em 2019? O valor é omisso no DUA (V.7), na factura de compra está descrito um valor de 142 (g/km).

No documento do IUC, a AT atribuiu um valor de 121 (g/km), segundo o sistema de testes WLTP, e aplicou o valor monetário do 2° escalāo (90,33€), ao invés do 1° escalāo (60,28€). Que incongruência é esta? Como devo proceder?

Obrigado pela atençāo.

FD em 20.06.2020. 13:59

@Paulo em 20.06.2020. 01:10

Para saber o CO2 é fazer como está no texto.
Depois, utilize o simulador de ISV para saber o valor a pagar.

Paulo em 20.06.2020. 01:10

Boa noite, gostava de legalizar um Jeep cherokee Lmt 4000cm³ gasolina com documentação do reino unido. (Já se encontra em portugal).
O carro é de 1988 de construção e foi importado e legalizado para o UK em 2001.
Qual seria o valor a pagar pela legalização deste veículo cá, assim como imposto iuc posterior? Na ficha tecnica ñ consta nenhum dado ref ao co²...
Se alguém pudesse ajudar ficava muito agradecido
Cumprimentos

FD em 24.04.2020. 12:01

@FRACASSO em 24.04.2020. 11:38

Se se sente injustiçado, deve recorrer à justiça, é dessa forma que as leis injustas são mudadas. ;)

FRACASSO em 24.04.2020. 11:38

Boa tarde, a emissao de CO2 NAO se pode medir de esta maneira!! O governo tem que respeitar o ciclo WLTP! E deve ser feito por o fabricante mesmo.

Os carros sao todos munidos de certificaçao europea, incluidos os antigos, se o CO2 nao ta relevado no certificado europeo nao se pode aplicar o imposto!

Isto è derubar a gente.

E sem saber o governo esta a matar o mercado automovel dentro do pais.

Na italia este pedido elevado de dinheiro se chama PIZZO! Este governo tem regras de mafia!

Elena em 18.02.2020. 13:37

Obrigada

FD em 18.02.2020. 10:31

@Elena em 17.02.2020. 16:40

Tem de colocar o valor WLTP, mesmo que seja muito alto.

Elena em 17.02.2020. 16:40

E se eu vou colocar no simulador WLTP, qual os dados tenho por 144 g/km ou 184 g/km? Eu pergunto, porque o valor 184 g/km é muito alto...

FD em 14.02.2020. 10:06

@Elena em 13.02.2020. 18:39

Se no COC tem as duas medições, deve escolher a WLTP e no simulador colocar o visto na respectiva caixa.

Elena em 13.02.2020. 18:39

Eu comprei o carro na Alemanha, agora quero legalizar no Portugal .Quais dados de CO2 devem ser inseridos no simulador do ISV, porque o COC declara CO2 pelo NEDC- 144 g/km e CO2 pelo WLTP-184 g/km

FD em 31.01.2020. 13:52

@JOSE AMARO em 31.01.2020. 12:55

Explique melhor o que quer dizer, não estou a perceber.

JOSE AMARO em 31.01.2020. 12:55

GOSTARIA DE SABER O PORQUE DO SITE DAS FINANÇAS ANO APARECE A OPCAO DE ESCOLHA DE CARROS ELECTRICOS OU HYBRID

FD em 07.11.2019. 18:53

@Krasimir em 07.11.2019. 18:14

Sim, o COC pode substituir a ficha técnica.

A ficha técnica é um documento muito parecido com o COC, onde estão inscritas todas as características do veículo.
Se quiser, pode pedir esse documento ao fabricante.

Krasimir em 07.11.2019. 18:14

Boas, CoC pode substituir a ficha técnica?
O qué é ficha técnica?
Para legalizar um veiculo pedem me ficha técnica más eu so consigo o CoC
Obrigada

FD em 13.06.2019. 12:25

@CARLOS PIEDADE em 12.06.2019. 22:40

Faça a simulação aqui: simulador ISV.

CARLOS PIEDADE em 12.06.2019. 22:40

Agradeço Informação
Impostos para carros importado da Europa Hibrido a gasolina
cm3 1998 motor combustão gasolina
co2 120
ano 2017

Escrever um comentário ou colocar uma dúvida

POR FAVOR leia a página toda antes de fazer perguntas que já estão respondidas no texto principal! Obrigado.

:

:

:


Em que ano é que estamos?

Por uma questão de rapidez na resposta e de poupança de espaço, considere que as minhas respostas incluem sempre os normais cumprimentos. :)

Acerca do impostosobreveiculos.info | Contacto

Todas as informações pretendem ser de leitura clara, simples e acessível, com o objectivo de constituirem um primeiro acesso à informação pretendida.
Por essa razão, poderão não ser totalmente completas ou tecnicamente exactas. No entanto, são dadas de boa fé e com base fundamentada na legislação em vigor.
Devido ao contexto e unicidade de cada caso, sempre que necessário, todas as informações deverão ser validadas por escrito junto da entidade oficial responsável.

Todos os direitos reservados - é permitida a cópia ou reutilização de partes deste sítio desde que seja atribuída a sua origem e autoria.
Política de Privacidade e de Tratamento de Dados Pessoais