Porque é que é tão caro importar um carro usado?

Nesta página: explicação sobre o porquê dos importados usados ficarem mais caros a partir de 2016.

Resumo: o desconto sobre os importados usados deixou de ser aplicado às emissões CO2.

O que aconteceu anteriormente

Se já fez uma simulação do ISV (Imposto Sobre Veículos) a pagar num usado importado, com certeza já ficou admirado com alguns dos valores, podendo até julgar que a simulação estaria errada.

No Orçamento de Estado para 2016, o governo PS, implementou duas medidas importantes no ISV que justificam os valores agora aplicados.

A primeira medida foi regressar à tabela original de descontos aplicada aos usados, que tinha sido abandonada anteriormente pelo governo PS em 2009.

Recordo: aquando da implementação do ISV, o desconto tinha 11 escalões, que aumentava consoante a idade da matrícula de origem, à semelhança do que existia no Imposto Automóvel, sendo o último escalão para veículos com mais de 10 anos, a que correspondia um desconto de 80% sobre o ISV a pagar.
Em 2009, esse desconto viu os últimos escalões serem descontinuados, passando o desconto máximo a ser aplicado a veículos com mais de 5 anos, na percentagem de 52%.

Voltando ainda um pouco mais atrás, esta tabela tinha sido criada para satisfazer a Comissão Europeia, que argumentava que os usados importados de outros países da UE, ao pagarem Imposto Automóvel como se fossem novos, estariam a ser discriminados, levando na prática, a que existisse uma barreira em Portugal à livre circulação de bens, um dos princípios basilares da UE.
Assim, a certa altura, criou-se esta tabela para atenuar essa barreira.
Assim que o governo cortou os últimos escalões, em 2009, foi consecutivamente pressionado pela Comissão Europeia, com a inércia do aparelho europeu, apenas em 2014, para repor a situação original, ou qualquer outra que não discriminasse os importados usados de outros países da UE.
Em 2016, o governo acedeu e a tabela original foi reposta. Dois anos depois do aviso da Comissão Europeia, e sete anos depois de ter sido alterada.

O que é que mudou

Mas, para compensar esta medida, implementou outra: a partir de agora, esse desconto não incidiria na componente ambiental do ISV, aquela que se baseia nas emissões de CO2, passando unicamente a existir um desconto sobre a componente cilindrada.

Na reforma do imposto automóvel de 2007, um dos objectivos era mudar o cálculo, de forma a tornar o imposto mais coerente, sem as injustiças que um cálculo baseado apenas na cilindrada tinha. Optou-se por tributar as emissões de CO2, num tempo em que o contexto europeu e mundial o exigia, e ainda exige. Em vez de se abolir completamente a componente cilindrada, optou-se por mais ou menos dividir a taxação entre as duas componentes.

E eis que chegamos a 2018, altura em que importar qualquer carro usado com um elevado nível de emissões de CO2 é completamente proibitivo, porque não há qualquer desvalorização do imposto nessa componente, que representa em média, metade do imposto cobrado. Na prática isto quer dizer que o desconto foi cortado em metade.

As razões para que tal aconteça poderão ser várias, relembro que demorou 7 anos até que uma mudança ao imposto tivesse que ser revertida - deixo à consideração de quem lê julgar por si próprio.

É por isto que importar carros usados com emissões de CO2 elevadas fica extremamente caro e raras vezes compensa.

Qual a solução

Qual a solução? Importar carros com baixas emissões de CO2.
Procure sempre as versões ecológicas dos modelos que pretende:

Como regra geral, automóveis com mais peso (SUV, monovolumes) e automóveis com mais potência e cilindrada, são aqueles que emitem mais emissões CO2 e, assim, a evitar.

Infelizmente, de momento, é só isto que pode fazer, nada mais.

19.12.2017. 13:39

FD em 04.12.2018. 16:11

@Ricardo em 04.12.2018. 15:48

Se o IVA for pago na origem, não tem isenção de IVA em Portugal.
Para mais informações: IVA na importação de carros ou motos.

Ricardo em 04.12.2018. 15:48

Boa tarde

Pretendo importar um veiculo usado de um Stand na Alemanha.
Tendo eu um problema de saude e incapacidade motora com 75% sei que:
-Tenho direito á isenção de ISV aquando da legalização do mesmo em Portugal.

As minhas questões são:

-Também tenho direito á isenção do IVA?
-E como proceder perante o Stand e o que alegar, uma vez que o IVA é pago no pais de origem?

Obrigado

FD em 22.08.2018. 12:13

@Albert em 22.08.2018. 08:17

Para lhe poder responder correctamente é preciso que contextualize a sua pergunta.

Respondendo directamente, as tabelas de ISV não incluem IVA porque, muitas das vezes, não se paga IVA.
O IVA apenas se paga em veículos com menos de 6 meses e 6.000km, ou em veículos importados de fora da UE.
Existem outras excepções, pelo que é importante que enquadre a sua pergunta.

Albert em 22.08.2018. 08:17

Bom dia,

Gostaria de saber a se na tabela de ISV os valores da mesma ja calcula o IVA ou ao valor calculado tenho de acrescenta-lo.

Veiculo com 1 ano

FD em 02.07.2018. 10:12

@christophe em 30.06.2018. 00:50

Importação a partir da Suíça paga ISV + Taxas aduaneiras (a existirem) + IVA.
Pode fazer a simulação aqui: Simulador ISV importação países fora UE (Suíça, EUA, Japão, etc.).

christophe em 30.06.2018. 00:50

Boa noite , eu tenho um Peugeot gti 1,6 de 2013 com Co2 de 139 ,gostaria de saber se ao preço final ainda se aplica alguma taxa?
Sendo o carro proveniente da Suiça , conta como pais terceiro ou como menbro do estado europeu?
Grato pela resposta .

FD em 22.06.2018. 16:16

@João Pinto em 22.06.2018. 12:33

Desde que a sua residência habitual seja na Alemanha, pode circular com um carro seu de matrícula alemã em Portugal 6 meses, seguidos ou não, em cada ano.
Se a sua residência habitual for portuguesa (mais de 185 dias em Portugal), não pode conduzir um veículo de matrícula alemã em Portugal de forma regular.

João Pinto em 22.06.2018. 12:33

Resido na Alemanha e também tenho residencia em Portugal, a quetão é: Quanto tempo me é autorizado circular com o meu carro, matriculado na Alemanha em Portugal?
Não tenciono legalizar.
Obrigado.

FD em 11.06.2018. 17:49

@Edna Costa em 11.06.2018. 15:44

Para que eu possa corrigir ou melhorar o simulador, qual foi a dificuldade que encontrou?

Esse carro paga 30,636.91€ de ISV na importação.

Edna Costa em 11.06.2018. 15:44

Boa tarde,
Estou com dificuldade de interpretar os resultados fornecidos pelo o simulador para o calculo de ISV de uma viatura que pretendo importar da Alemanha. Solicito ajuda no calculo do valor aproximado a pagar pela importação da referida viatura. Eis ad características: Marca: BMW X3, Data matricula: Outubro/2004; Cubicagem: 2,993; Emissão CO2: 243 g/kg; Combustível: Gasóleo.

Obrigado,
Edna Costa

FD em 22.05.2018. 20:25

@Miguel em 22.05.2018. 18:58

Tanto quanto sei, esses dados não existem, concretamente nos anos anteriores à década de 90.
Pode encontrar alguns desses dados mais recentes em outros sítios, como aqui: https://home.moonlight.pt/acapco2/dgv/pesquisa.asp

Miguel em 22.05.2018. 18:58

Boa tarde.
Alguém me pode indicar onde se podem encontrar as tabelas de emissão de CO2, entre 1959 e 2018?
Os meus melhores cumprimentos.

Miguel

Joao Silva em 14.05.2018. 16:34

Caros Leitores,

Viaturas classicas só tem regime de excepção na importação se forem anteriores a 1970 exclusive.
Quem quiser importar um classico, de 1970 a 1988 (a partir do qual é considerado classico ) tem que pagar uma fortuna!!
Em vez de benefeciarmos a entrada de viaturas classicas no Pais fazemos exactamente o contrário!!
Em consequencia, o mercado de classicos nacional disparou para preços absurdos e aproveitando-se destas leis absurdas!!
País triste este....
Desculpem o desabafo mas para quem gosta de automoveis, de classicos em especial é triste ver esta "palhaçada"!!
E assim vamos vivendo....

Miguel em 22.02.2018. 09:55

para importar um carro clássico americano para conduzir no domingo, é preciso de pagar 30 vezes mais do que o valor do carro em bom estado

Escrever um comentário

:

:

:


Em que ano é que estamos?