Simulador método alternativo ISV 2018

Este simulador permite-lhe calcular em dois passos o valor a pagar de ISV na importação da UE de veículos automóveis ligeiros de passageiros, usados ou novos (excepções).


Passo 1 (obrigatório): coloque no seguinte campo a cilindrada do carro.
Se quiser comparar a diferença entre versões a gasóleo e a gasolina, preencha os dois campos.

Gasóleo Gasolina
cm³/cc cm³/cc


Passo 2 (obrigatório): coloque no seguinte campo as emissões de CO2 do carro.

Gasóleo Gasolina
g/km CO2 g/km CO2


Passo 3 (obrigatório): coloque o valor comercial actual do carro em Portugal.

Gasóleo Gasolina


Passo 4 (obrigatório): coloque o preço em novo em Portugal do carro no ano da matrícula de origem.

Gasóleo Gasolina


Passo 5 (obrigatório): indique a idade do carro (a contar a partir do ano da matrícula de origem).

Idade


Passo 6 (opcional): coloque o preço de compra do carro na origem.

Gasóleo Gasolina


Passo 7: após preencher os campos obrigatórios, verá abaixo os valores a pagar, para que possa comparar.
Pode alterar qualquer campo e ver as diferenças em tempo real, experimente.

Se preencheu o campo com o preço de compra do carro, vê o preço total (carro + ISV).


(a) Por uma questão de simplicidade, não simula importações fora da UE (Suíça, etc.), veículos 7 lugares e +2.500Kg peso bruto, híbridos/plug-in, exclusivos GPL/GNC, anteriores a 1970, veículos de mercadorias, autocaravanas e motos.

(b) No valor indicado assume-se que o carro a gasóleo tem filtro de partículas (todos os carros recentes têm). Se o carro não tiver filtro de partículas, há uma taxa adicional de 500€, que não aparece na simulação. Esta taxa não se aplica a carros a gasolina.

(c) Carros com menos de 6 meses de matrícula ou menos de 6.000 km pagam sempre 23% de IVA em Portugal, independentemente de o terem pago no país de origem. Se na simulação não colocou o preço do carro, apenas será acrescentado IVA ao valor do ISV. Deverá indicar o preço do carro para uma simulação mais fidedigna.

11.12.2017. 14:02

Luis em 16.02.2018. 15:55

Obrigado.

FD em 16.02.2018. 15:31

@Luis em 16.02.2018. 14:52

Em princípio, não.
A fórmula de cálculo mudou em 2016... antes podia compensar mas, com as mudanças de 2016, é raro.
A componente CO2 deixou de ser considerada na fórmula de desvalorização - paga-se pelo CO2 como se fosse novo, mesmo pelo método alternativo.

Veja também: Importação e legalização de automóveis usados pelo método alternativo/avaliação em 2018.

Luis em 16.02.2018. 14:52

Tenho reparado que com todos as simulações que faço, o valor pelo método alternativo é sempre superior. Estarei a fazer algo de errado?
Também pensava que o co2 nao influenciasse tanto pelo método alternativo, mas influencia bastante.

Luis em 16.02.2018. 14:42

Muito obrigado pelas dicas.
Irei então investigar.

FD em 16.02.2018. 11:39

@Luis em 16.02.2018. 09:29

Esses dados estão em bases de dados que são normalmente pagas.
No entanto, os fornecedores desses dados (Eurotax, FleetData, etc.) não fornecem directamente o público, apenas entidades que compram o acesso às bases de dados, como por exemplo, as seguradoras, financeiras ou os revendedores de automóveis.

Existem alguns serviços online gratuitos (KBB.pt) que lhe permitem obter a cotação de usado.
A maior dificuldade é conseguir o preço em novo.

Se conseguir acesso a algum cliente desses fornecedores (mediadores de seguros, vendedores de automóveis) pode talvez conseguir os dados.
Outra hipótese é consultar o importador, que deverá ter o histórico dos preços de venda ao público.
Ainda outra hipótese é consultar as revistas da especialidade do ano do carro que pretende comprar. Algumas bibliotecas públicas guardam exemplares destas revistas.

Luis em 16.02.2018. 09:29

Muito obrigado pela sua resposta.
Existe algum website onde possa verificar valor comercial nacional dos carros usados (antes de 2000)? E também onde verificar o preço de quando ele era novo?

Muito obrigado!

FD em 15.02.2018. 18:09

@Luis em 15.02.2018. 17:40

Em princípio, não.

Existe uma taxa de 200€ (sem avaliação presencial do veículo) ou 300€ (com avaliação presencial do veículo) que deverá ser paga antes de se desencadear este processo.
Essa taxa existe para "pagar" o trabalho da avaliação.

Se não se importar de pagar a taxa para ter a estimativa, penso que não deverá ter problemas em optar no final por qualquer um dos métodos.

Já quanto a obter a estimativa sem pagar a taxa, é uma possibilidade que terá que explorar junto da Alfândega onde pensa fazer a legalização - os procedimentos não regulamentados podem variar consoante as várias alfândegas.

Por outro lado, na alfândega apenas vão validar os dados fornecidos por si.
Se os dados que possui são verídicos e verificáveis, este simulador faz a mesma estimativa que obteria junto da alfândega.

Luis em 15.02.2018. 17:40

Bom dia,

Ao legalizar um carro importado, poderei pedir à alfândega estimativa do valor a pagar pelo método alternativo e só depois escolher qual usar?

Obrigado

Escrever um comentário

:

:

:


Em que ano é que estamos?