O que é um Certificado de Origem

Nesta página: informações sobre o que é e onde obter um Certificado de Origem.
Resumo: um Certificado de Origem é um documento que atesta a origem (país) de um determinado bem.

Esta matéria é complexa pelo que é difícil neste artigo abranger todos os detalhes e excepções - deve entender o que aqui é escrito como uma informação geral e não específica. Sempre que precisar de informações concretas e exactas deve contactar uma alfândega.

Um Certificado de Origem é um documento (em papel ou electrónico) que atesta o país de origem de um determinado bem.
Por país de origem entende-se que é o país onde o bem foi fabricado (na sua maioria). País de origem, neste contexto, não é o país de onde vem o produto, é o país onde o produto foi construído ou fabricado. Quando o produto tem diversas origens (diversas peças de diversos países), o país de origem é normalmente aquele onde foi assemblado.
Por exemplo, ao importar um carro da Suíça cujo país de fabrico foi a Alemanha, o país de origem é a Alemanha e não a Suíça.

No âmbito da importação de veículos para Portugal, o Certificado de Origem serve essencialmente para não pagar a taxa aduaneira geral de 10%.

Em geral, qualquer automóvel que seja importado para Portugal de um país terceiro, isto é, que não pertença à União Europeia, paga uma taxa aduaneira (podem ser usados diversos termos que querem dizer o mesmo como tarifa alfandegária, taxa alfandegária, direitos aduaneiros, etc.).

Esta taxa, para veículos automóveis, costuma ser de 10%, mas em alguns casos quando há acordos de comércio com a UE, pode ser inferior, como é o caso do Canadá cuja taxa é de 5% ou do Japão cuja taxa é 7,5%.

No entanto, há essencialmente dois casos em que a taxa é 0%:

Assim, o Certificado de Origem é a prova que deve fornecer à alfândega portuguesa para que esta não cobre a taxa geral de 10%.

Exemplos:

O Certificado de Origem obtém-se normalmente junto do fabricante, ou de qualquer outra entidade idónea, credível e reconhecida pela alfândega que represente os fabricantes (Câmaras de Comércio ou associações do sector automóvel por exemplo). Pode ter um custo, porque é um trabalho administrativo, mas o fabricante também o pode emitir sem cobrar qualquer valor - a decisão cabe por completo ao emissor.

A primeira entidade a procurar para obter este documento é o fabricante do automóvel, em alguns casos a fábrica onde o carro foi fabricado/montado. Se o fabricante não emitir directamente deverá encaminhá-lo para a entidade que o poderá fazer.

Em conclusão, se pretende importar um automóvel de um país fora da UE verifique sempre se existe uma tarifa preferencial que lhe permita pagar uma taxa alfandegária inferior à taxa geral de 10%.
Consulte a base de dados TARIC (pauta aduaneira), introduza o código 8703, pesquise qual a descrição do veículo mais próxima ao que pretende importar e veja quais são as medidas e taxas aplicáveis. Se houver uma taxa inferior a 10%, deve então procurar quem lhe possa fornecer um Certificado de Origem.

Como existem inúmeros acordos e inúmeras situações específicas, mesmo depois de consultar a pauta aduaneira, deve sempre confirmar junto da alfândega portuguesa que taxas (direitos) se aplicam à sua situação concreta - qualquer interpretação errada pode lhe custar mais de 10% do valor do carro que quer importar (o IVA também incide sobre as taxas aduaneiras).

Se para si tudo isto lhe parece muito complicado ou difícil, sugiro que contrate os serviços de um despachante oficial.

Se tiver dúvidas, se tiver uma experiência para partilhar, ou se quiser comentar qualquer outra coisa relacionada com este assunto, agradeço que utilize a caixa de comentários mais abaixo - ajude-me a melhorar esta informação. :)

27.08.2020. 11:33

FD em 14.09.2020. 21:13

@Ari Cardoso em 13.09.2020. 22:49

Sim, o COC basta, mesmo que digital (imprima-o).

Ari Cardoso em 13.09.2020. 22:49

Olá.

Estou a negociar a aquisição de uma autocaravana, via net, Mercedes Benz James Cook, modelo não comercializado em Portugal originalmente, e cujo vendedor alemão referiu logo que este modelo não tem certificado de conformidade europeu (COC),mas que se prontificou para enviar o mesmo por mail antecipadamente afim de eu verificar a sua validade cá.

A minha dúvida, é se possuindo o COC mesmo numa versão digital, isto não bastará para a respectiva legalização,naturalmente junto com a restante documentação?

Escrever um comentário ou colocar uma dúvida

POR FAVOR leia a página toda antes de fazer perguntas que já estão respondidas no texto principal! Obrigado.

:

:

:


Em que ano é que estamos?

Por uma questão de rapidez na resposta e de poupança de espaço, considere que as minhas respostas incluem sempre os normais cumprimentos. :)

Acerca do impostosobreveiculos.info | Contacto

Todas as informações pretendem ser de leitura clara, simples e acessível, com o objectivo de constituirem um primeiro acesso à informação pretendida.
Por essa razão, poderão não ser totalmente completas ou tecnicamente exactas. No entanto, são dadas de boa fé e com base fundamentada na legislação em vigor.
Devido ao contexto e unicidade de cada caso, sempre que necessário, todas as informações deverão ser validadas por escrito junto da entidade oficial responsável.

Todos os direitos reservados - é permitida a cópia ou reutilização de partes deste sítio desde que seja atribuída a sua origem e autoria.
Política de Privacidade e de Tratamento de Dados Pessoais